Logitech melhora perspectivas pela 3ª vez após salto no lucro trimestral

REUTERS/Dado Ruvic
REUTERS/Dado Ruvic

O lucro líquido da empresa subiu para US$ 2,45 por ação nos três meses encerrados em dezembro, ante US$ 0,84 por ação um ano antes

A Logitech elevou hoje (19) suas previsões anuais e reportou um salto de mais de três vezes na receita operacional ajustada do último trimestre de 2020, beneficiando-se das medidas de isolamento social que aumentaram a demanda por trabalho remoto e videogames.

A fabricante de periféricos e outros produtos eletrônicos elevou as perspectivas de crescimento de vendas e lucro de 2021 pela terceira vez. Agora, a companhia espera um crescimento nas vendas para o ano inteiro de 57% a 60% em câmbio constante e receita operacional ajustada de US$ 1,05 bilhão.

A demanda por seus dispositivos de videoconferência e periféricos para jogos de computador aumentou, enquanto as vendas de consoles de videogames subiram como resultado do fechamento de cinemas e outros locais de lazer.

As vendas da empresa aumentaram 85%, para US$ 1,67 bilhão no terceiro trimestre fiscal, que tem sido tradicionalmente o maior período de vendas da empresa.

A Logitech havia previsto anteriormente um crescimento anual de vendas de 35% a 40% e receita operacional ajustada entre US$ 700 milhões e US$ 725 milhões.

“Estamos investindo cada vez mais em nossas capacidades e nossa equipe para exercer o potencial de crescimento que vemos no futuro”, disse Bracken Darrell, presidente-executivo da Logitech.

Excluindo eventos não recorrentes, o lucro líquido da empresa subiu para US$ 2,45 por ação nos três meses encerrados em dezembro, ante US$ 0,84 por ação um ano antes. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).