Os atletas mais bem pagos da NBA em 2021

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Quadras vazias levaram a uma redução de 20% nos salários dos jogadores, que agora contam com parcerias e contratos milionários

A temporada da NBA começou no mês passado e mal passaram duas semanas antes de o coronavírus bagunçar toda a programação. Foram 22 jogos adiados e outros realizados com escalações reduzidas. Críticos questionaram manter a temporada durante uma pandemia, mas os jogadores da NBA têm três bilhões em motivos para amarrar seus high-tops –o número é o equivalente à folha de pagamento dos mais de 400 jogadores.

Os salários da NBA dispararam nas últimas três décadas, sendo hoje dez vezes maiores do que há 30 anos. Na última temporada, cada jogador recebeu em média US$ 9,5 milhões. Esse valor representa mais que o dobro de jogadores de beisebol e três vezes o que ganha um atleta de futebol americano. Há 44 jogadores da NBA que deveriam ganhar pelo menos US$ 25 milhões nesta temporada, em comparação a sete jogadores na MLB e 12 na NFL, que terá um corte de salários. Os ganhos vieram mesmo com a NBA operando como o único dos três esportes com um teto de salários individuais, implementado pela primeira vez em 1999.

VEJA TAMBÉM: Conheça os planos de Ryan Smith, o bilionário que comprou o Utah Jazz

LeBron James é o jogador mais bem pago da NBA pelo sétimo ano consecutivo, somando seus ganhos fora da quadra. A temporada 2016-17 foi a única de sua carreira em que ele teve o salário de jogador mais alto. Ele deve ganhar US$ 95,4 milhões além de outros US$ 64 milhões em parcerias, produtos e mídia. É um recorde para um jogador da NBA. Isso também o torna o atleta mais bem pago dos esportes coletivos americanos de todos os tempos. A Nike, que assinou um contrato pela primeira vez com James em 2003, representa metade do total dessa fortuna fora das quadras.

O salário original do jogador que foi eleito quatro vezes MVP (Jogador Mais Valioso) no Los Angeles Lakers para a temporada 2020-21 era de US$ 39,2 milhões. Mas James e todos os outros jogadores da NBA terão 20% de seus salários colocados em um contrato de depósito, como parte de um acordo coletivo para melhorar a equidade no esporte. Ao todo, ele perderá cerca de US$ 8 milhões e a chance de entrar no seleto grupo de atletas que ganharam US$ 100 milhões ou mais em um único ano. Os únicos outros americanos a atingir esse patamar como atletas ativos foram Tiger Woods e Floyd Mayweather.

As arenas geram cerca de 40% da receita da NBA em uma temporada normal, mas estarão perto de zero neste ano. Isso significa que os jogadores não verão um centavo desse dinheiro Geralmente, espera-se uma audiência de 103 mil pessoas, mas até o momento registrou-se apenas 2% desse total.

O coronavírus congelou novas parcerias, mas James é uma das pessoas mais lucrativas ​​do mundo. No ano passado, quando a Coca-Cola e o atleta não conseguiram fechar a extensão de um contrato para uma parceria que começou em 2003, a PepsiCo entrou em cena. Espera-se que James assine um contrato de vários anos para promover a marca de bebidas Mountain Dew. O jogador ainda acumula contratos com AT&T, Beats, Nike, Walmart, Rimowa, GMC e Blaze Pizza.

Seria o exemplo mais recente do império comercial em parcerias de James. Em 2015, ele abandonou uma acordo de US$ 15 milhões com o McDonald’s por um com a Blaze. James já era um franqueado e um dos primeiros investidores da rede de restaurantes e estava sendo pago para lançar a marca. Atualmente, o grupo de investidores possui 18 franquias em Chicago e no sul da Flórida.

Stephen Curry ocupa o segundo lugar do ranking, com salário de US$ 74,4 milhões e outros US$ 40 milhões fora das quadras. Ele está de volta ao Golden State Warriors, depois de participar de apenas cinco jogos na temporada passada, para se recuperar de uma fratura na mão. Sem Curry e Klay Thompson, o Golden State Warriors tiveram seu pior resultado na liga, após quatro playoffs consecutivos.

LEIA TAMBÉM: LeBron James acerta extensão de US$ 85 milhões com o Los Angeles Lakers

A Under Amour ainda aposta no alto nível do jogador de 32 anos. Em dezembro, a marca lançou a Curry Brand, um modelo semelhante ao da Nike com Michael Jordan. O jogador terá calçados, roupas e acessórios para diversos esportes. A parceria de Curry com a Under Armour vale US$ 20 milhões por ano, mas espera-se que esse valor cresça, caso a marca se saia bem. A linha de Jordan gera quase US$ 4 bilhões em receita para a Nike e vale mais de US$ 130 milhões por ano para o ex-atleta.

Os Warriors têm duas das estrelas mais bem pagas da NBA, Curry e Thompson (US$ 43,3 milhões), mas o Brooklyn Nets fez melhor o negócio que rendeu à equipe o tricampeão artilheiro James Harden. Kevin Durant (US$ 65,2 milhões), Harden (US$ 50 milhões) e Kyrie Irving (US$ 43 milhões) são um trio caro e fazem do Nets um dos favoritos ao título da NBA, ao lado dos Lakers.

Estima-se que os dez jogadores mais bem pagos ganharão um total de US$ 558 milhões em salários e parcerias para a temporada 2020-21. Esse é um cenário estável se comparado ao ano anterior, com 44% de ganhos proveniente de esforços fora das quadras. Todos eles provavelmente estarão no top 20 do ranking anual da Forbes sobre os atletas mais bem pagos do mundo.

Veja na galeria a seguir a análise financeira das maiores estrelas da NBA:

  • 10. Damian Lillard
    Time: Portland Trail Blazers
    Ganhos totais: US$ 39 milhões
    Salário: US$ 25 milhões
    Parcerias: US$ 14 milhões

    Lillard ingressou recentemente na linha de produtos Bolt24 da Gatorade, lançada em 2019. “Ainda é algo recente, mas chegará um momento em que o Bolt24 será bem conhecido. Eu vi isso como uma oportunidade de estar ligado a essa história”, disse Lillard à Forbes. No ano passado, ele lançou um programa de estágio anual para alunos carentes de escolas de segundo grau em Los Angeles, Nova York e Chicago.

    Reprodução/Forbes
  • 9. Chris Paul
    Time: Phoenix Suns
    Ganhos totais: US$ 40,1 milhões
    Salário: US$ 33,1 milhões
    Parcerias: US$ 7 milhões

    O presidente da Associação de Jogadores da NBA aumentou seus investimentos de risco nos últimos anos. Ele investiu em dois fundos da Turner Impact Capital e na Beyond Meat, como investimento pessoal. Paul tem uma opção no valor de US$ 44,2 milhões para a próxima temporada que deverá aproveitar. Este é o último ano de seu contrato de quatro anos avaliado em US$ 160 milhões.

    Reprodução/Forbes
  • 8. Kyrie Irving
    Time: Brooklyn Nets
    Ganhos totais: US$ 43 milhões
    Salário: US$ 26 milhões
    Parcerias: US$ 17 milhões

    Irving perdeu sete jogos dos Nets em janeiro e justificou dizendo que “precisava de uma pausa.” Essa pausa custou quase US$ 900 mil por duas derrotas e uma multa de US$ 50 mil por violar as regras da NBA para a Covid-19. A campanha publicitária viral da Pepsi em parceria com o atleta foi a inspiração para o filme “Uncle Drew” de 2018, estrelado por Irving. A Pepsi não tem mais uma parceria ativa com o jogador.

    Reprodução/Forbes
  • 7. Klay Thompson
    Time: Golden State Warriors
    Ganhos totais: US$ 43,3 milhões
    Salário: US$ 28,3 milhões
    Parcerias: US$ 15 milhões

    Thompson se juntou a Alex Morgan, Travis Pastrana e Paul Rodriguez para lançar a marca de CBD Just Live, em outubro. A missão é fornecer alternativas naturais aos analgésicos para recuperação do condicionamento físico. O jogador que foi cinco vezes All-Star tem patrocínio de marcas proeminentes, como Tissot, Mercedes Benz e Kaiser Permanente, mas é a marca de calçados chinesa Anta que fornece mais da metade de sua renda fora das quadras.

    Reprodução/Forbes
  • 6. Giannis Antetokounmpo
    Time: Milwaukee Bucks
    Ganhos totais: US$ 49 milhões
    Salário: US$ 22 milhões
    Parcerias: US$ 27 milhões

    O atual MVP se comprometeu com o Milwaukee em dezembro, quando assinou um contrato de US$ 228 milhões por cinco anos, o maior da história da NBA. A Disney conquistou os direitos de um filme sobre a vida de Antetokounmpo, que chegou aos EUA em 2013. O lançamento está previsto para 2022 e segue as linhas do blockbuster vencedor do Oscar de 2009, “Um Sonho Possível”.

    Reprodução/Forbes
  • 5. James Harden
    Time: Brooklyn Nets
    Ganhos totais: US$ 50 milhões
    Salário: US$ 33 milhões
    Parcerias: US$ 17 milhões

    A marca de fragrâncias para casas Pura anunciou em dezembro que o MVP de 2018 se juntou à empresa como investidor e diretor-criativo. O acordo de Harden com a Adidas paga cerca de US$ 14 milhões por ano, e o jogador deve fazer acordos de participação acionária com seus outros parceiros, como Stance, Art of Sport e BodyArmor.

    Reprodução/Forbes
  • 4. Russel Westbrook
    Time: Washington Wizards
    Ganhos totais: US$ 58,1 milhões
    Salário: US$ 33 milhões
    Parcerias: US$ 25 milhões

    Westbrook reduziu suas parcerias nos últimos anos –a Nike representa a maior parte de sua receita de patrocínio. Mas o atleta construiu um portfólio robusto de concessionárias de automóveis com dez lojas no sul da Califórnia.

    Reprodução/Forbes
  • 3. Kevin Durant
    Time: Brooklyn Nets
    Ganhos totais: US$ 65,2 milhões
    Salário: US$ 31,2 milhões
    Parcerias: US$ 34 milhões

    Durant marcou pontos em novembro quando a Uber comprou o serviço de entrega de comida Postmates por US$ 2,65 bilhões. Ele havia investido na startup de São Francisco a um preço inicial com desconto, em 2016, em troca de seu endosso e transformou sua participação de US$ 1 milhão em cerca de US$ 15 milhões (ganhos com parceria não incluem o ganho de investimento).

    Reprodução/Forbes
  • 2. Stephen Curry
    Time: Golden State Warriors
    Ganhos totais: US$ 74,4 milhões
    Salário: US$ 34,4 milhões
    Parcerias: US$ 40 milhões

    O salário de Curry é o mais alto da NBA pela quarta temporada consecutiva. A corrida veio depois que ele concluiu um acordo no valor de US$ 44 milhões ao longo de quatro anos, durante o qual ele ganhou dois prêmios de MVP e levou o Warriors a dois títulos da NBA. Sua produtora, Unanimous Media, entrou no segmento de podcasts no ano passado, com um primeiro contrato com a Audible, de propriedade da Amazon.

    Reprodução/Forbes
  • 1. LeBron James
    Time: Los Angeles Lakers
    Ganhos totais: US$ 95,4 milhões
    Salário: US$ 31,4 milhões
    Parcerias: US$ 64 milhões

    Há muito tempo, King James é comparado a Michael Jordan. Isso acontecerá novamente em julho, quando “Space Jam 2: a New Legacy” for lançado –uma sequência do original de 1996 estrelado por Jordan. LeBron recrutou os colegas profissionais Thompson, Damian Lillard e Anthony Davis para participações especiais. O filme é uma cesta de três para James, que protagoniza a fita, além de ser produtor-executivo e cofundador da SpringHill Entertainment, que está produzindo a obra com a Warner Brothers. James pode ganhar mais de US$ 10 milhões com o filme.

    Reprodução/Forbes

10. Damian Lillard
Time: Portland Trail Blazers
Ganhos totais: US$ 39 milhões
Salário: US$ 25 milhões
Parcerias: US$ 14 milhões

Lillard ingressou recentemente na linha de produtos Bolt24 da Gatorade, lançada em 2019. “Ainda é algo recente, mas chegará um momento em que o Bolt24 será bem conhecido. Eu vi isso como uma oportunidade de estar ligado a essa história”, disse Lillard à Forbes. No ano passado, ele lançou um programa de estágio anual para alunos carentes de escolas de segundo grau em Los Angeles, Nova York e Chicago.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).