Preços do petróleo caem com novos lockdowns e dólar mais forte

Indicadores provocam pressão de venda e abaixam os preços.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Nick Oxford/Reuters
Nick Oxford/Reuters

A China continental viu seu maior aumento diário em infecções por vírus em mais de cinco meses, disseram as autoridades.

Acessibilidade


Os preços do petróleo Brent caíram até US$ 1 por barril hoje (11), atingidos por novas preocupações sobre a demanda global por combustíveis em meio a fortes bloqueios para conter o coronavírus em todo o mundo, bem como um dólar americano mais forte.

O petróleo Brent caía US$ 0,57, ou 1%, a US$ 55,42 por barril às 09:05, horário de Brasília, após recuar US$ 1 para o patamar mais baixo da sessão de US$ 54,99. Já o petróleo dos Estados Unidos (WTI) perdia US$ 0,26, ou 0,5%, para US$ 51,98 o barril.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

“As novas preocupações sobre a demanda devido ao número muito alto de novas infecções por coronavírus e outras restrições de mobilidade, além do dólar americano mais forte, estão gerando pressão de venda”, disse o analista do Commerzbank, Eugen Weinberg.

Os casos de coronavírus em todo o mundo ultrapassaram 90 milhões, de acordo com uma contagem da Reuters. Apesar dos rígidos lockdowns nacionais, a Grã-Bretanha está enfrentando as piores semanas da pandemia e, na Alemanha, os casos ainda estão aumentando.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“A recuperação da demanda de petróleo está estagnada na Europa, em particular devido aos bloqueios prolongados. As preocupações com a demanda chinesa também estão crescendo devido ao aumento nos casos de coronavírus no país, já que os comerciantes temem novos bloqueios”, disse Bjornar Tonhaugen, analista da Rystad Energy.

A China continental viu seu maior aumento diário em infecções por vírus em mais de cinco meses, disseram as autoridades, com o aumento de novas infecções na província de Hebei, que circunda a capital, Pequim. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: