XP fecha 2020 com uma alta de 61% em AUC, levantando o montante de R$ 660 bi

ReproduçãoForbes
ReproduçãoForbes

Guilherme Benchimol, presidente-executivo da XP, espera chegar a marca de R$ 1 trilhão

A XP encerrou o ano passado com R$ 660 bilhões em ativos sob custódia (AUC), uma alta de 61% em relação ao final de 2019 e um crescimento de 17% na comparação com o final do terceiro trimestre de 2020, conforme dados divulgados pela plataforma de investimentos hoje (26).

O crescimento ano a ano foi puxado pelo fluxo líquido de R$ 198 bilhões e R$ 53 bilhões em apreciação dos mercados. “Penso que a principal oportunidade que temos pela frente é dobrar nosso AUC mais uma vez, especialmente agora que começamos a oferecer um conjunto completo de serviços e produtos bancários”, afirmou o fundador e presidente-executivo da XP, Guilherme Benchimol, em comunicado. “A marca de R$ 1 trilhão parece mais próxima do que nunca”, acrescentou.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O fluxo líquido ajustado totalizou R$ 37 bilhões no quarto trimestre de 2020, estável em relação ao terceiro trimestre. A companhia encerrou o ano passado com 2,8 milhões de clientes ativos, uma alta de 63% frente ao final de 2019 e de 5% frente ao final do terceiro trimestre, com 2020 registrando crescimento de clientes em todos os canais. O portfólio de crédito do grupo alcançou R$ 3,9 bilhões, em 31 de dezembro de 2020, equivalentes a 0,6% do total dos ativos sob custódia.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).