Cesp lucra R$ 1,6 bi no 4° trimestre com alta de 20%

Divulgação/Forbes

A elétrica paulista Cesp registrou lucro líquido de cerca de R$ 1,6 bilhão no último trimestre de 2020, com avanço de 20% na comparação anual, que aproveitou a realização de ativo fiscal decorrente de prejuízos passados, segundo resultado divulgado ontem (11). No consolidado do ano, a Cesp registrou um lucro líquido de R$ 1,7 bilhão, com salto de 49% na comparação com 2019.

A companhia, controlada pela Votorantim Energia e pela gestora canadense de fundos de pensão CPPIB, somou lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de R$ 274,1 milhões, com queda de 42% em base anual.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O Ebitda ajustado, que exclui fatores como provisão para litígios, baixa de depósitos judiciais e impactos de plano de demissão voluntária, foi de R$ 154,7 milhões, recuo de 40% frente aos últimos três meses de 2019.

A elétrica disse que os resultados do último trimestre e do ano foram beneficiados pela realização de ativo fiscal, que permitiu a constituição de imposto diferido (IR/CSLL) de R$ 1,6 bilhão, “valor que contempla 100% do prejuízo fiscal e base negativa de anos anteriores”.

A receita operacional líquida da companhia avançou 16% no quarto trimestre, para R$ 500,6 milhões, enquanto cresceu 22% no ano completo, para R$ 1,9 bilhão. O resultado foi impulsionado pelo início das operações de “trading” da Cesp Comercializadora, com receita de R$ 112 milhões no ano.

Os custos e despesas operacionais somaram R$ 328 milhões no trimestre, contra R$ 74 milhões no mesmo período de 2019. A companhia encerrou o período com dívida líquida de R$ 1,2 bilhão, alta de 20% frente ao final de 2019.

Mas a alavancagem, medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda, recuou para 1 vez, de 1,2 vezes. Se considerado o Ebitda ajustado, a redução foi para 1,2 vezes, de 1,3 vezes no ano anterior.

Distribuição de dividendos

A Cesp disse que seu conselho de administração aprovou proposta de distribuição de dividendos referentes a 2020 no valor de R$ 700,1 milhões, o que inclui dividendos obrigatórios e adicionais. Se somado o valor a juros sobre capital próprio (JCP) aprovados anteriormente, no valor de R$ 150 milhões, o valor total de proventos proposto é de R$ 850,16 milhões, disse em comunicado a companhia controlada pela Votorantim Energia e pela gestora de fundos de pensão canadense CPPIB.

As propostas devem passar por aprovação em assembleia agendada para 20 de março. Terão direito acionistas da companhia na data base de 2 de abril. O pagamento será feito em duas parcelas, sendo R$ 600 milhões em 15 de abril e R$ 250,1 milhões em 15 de setembro, sem atualização monetária ou juros, acrescentou a empresa.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).