Forbes Radar: Suzano, TIM, CSN Mineração, e outros destaques corporativos

No Forbes Radar de hoje (11), a Klabin teve lucro líquido de R$ 1,3 bilhão no quarto trimestre de 2020, enquanto a Suzano registrou lucro líquido de R$ 5,9 bilhões no mesmo período. Hoje é também o último dia para reservar ações da CSN Mineração.

Veja estes e outros destaques de negócios do dia:

Suzano (SUZB3)

A Suzano encerrou o quarto trimestre de 2020 com um lucro líquido de R$ 5,9 bilhões, um aumento de 403% em comparação com o mesmo período de 2019, em que chegou a R$ 1,1 bilhão.

A receita líquida ficou em R$ 8 bilhões no último trimestre do ano passado e em 12 meses houve o aumento de 17%, que passou de R$ 26 bilhões, em 2019, para R$ 30 bilhões, em 2020.

O Ebtida fechou o trimestre em R$ 3,9 bilhões, 61% acima dos R$ 2,4 bilhões obtidos no mesmo período de 2019. No entanto, o resultado não foi suficiente para evitar um prejuízo de R$ 10 bilhões no acumulado do último ano, quase quatro vezes mais que os R$ 2,8 bilhões de prejuízo de 2019.

A companhia assinou o contrato de e pré-pagamento de exportação vinculado à sustentabilidade (sustainability-linked loan), contratado por sua subsidiária integral Suzano Pulp and Paper Europe (“Suzano Europe”), no valor de principal de US$ 1,570 milhões.

A nova operação de crédito possui indicadores de performance ambientais (KPIs) associados a metas de redução de intensidade de emissões de gases de efeito estufa (GEE); e redução de captação industrial de água, evidenciando o compromisso da companhia como parte da solução perante a crise climática global e com o desenvolvimento sustentável, e em convergência à implementação de suas Metas de “Longo Prazo 2030”.

De acordo com o Comunicado ao Mercado, a liquidação financeira das operações está prevista para ocorrer até o final do mês de março de 2021, uma vez atendidas todas as condições precedentes.

Banco do Estado do Rio Grande do Sul (BRSR6)

O Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul) teve o lucro no quarto trimestre do último ano foi de R$ 232 milhões, contra R$ 356 milhões do ano anterior, uma queda de 41,5%. No quarto trimestre também houve a margem financeira que ficou em R$ 1,4 bilhão, aumento e 18% ou R$ 22 milhões frente ao terceiro trimestre.

A carteira de crédito da companhia alcançou R$ 37 bilhões em dezembro de 2020 e a receita de prestação de serviços e de tarifas bancárias ficou em R$ 521 milhões no último trimestre de 2020, comparado com o terceiro trimestre do mesmo ano, que foi R$ 472 milhões.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Braskem (BRKM5)

A Alaska Investimentos informou ontem à Braskem que alienou ações preferenciais de classe A de emissão da companhia, na última segunda-feira (8), através dos fundos de investimentos sob sua gestão, reduzindo sua participação para 17 milhões ativos (4,94% do total de ações preferenciais classe A emitidas pela empresa). A Alaska Investimentos também declarou possuir 5 milhões de instrumentos financeiros derivativos referenciados em ações.

Segundo o Comunicado ao Mercado, a alienação da participação teve por objetivo a mera realização de operações financeiras, não objetivando alteração do controle acionário ou da estrutura administrativa da companhia.

Marfrig (MRFG3)

A Marfrig Global Foods junto com as suas subsidiárias e algumas instituições financeiras anunciaram a liquidação final das ofertas de compra em dinheiro com o valor máximo de US$ 1 trilhão das notas sênior com remuneração de 6,875% ao ano e vencimento em 2025 (Notas 2025); e das notas sênior em circulação com remuneração de 7% ao ano e vencimento em 2024 (Notas 2024).

Totvs (TOTS3)

A Totvs atingiu uma receita líquida de R$ 689 milhões no último trimestre, o que representa um aumento de 19% na comparação com o mesmo período de 2019, com um Ebitda ajustado de 39% acima do ano anterior.

Os resultados financeiros operacionais da Totvs seguem sendo apresentados a partir de dois principais segmentos de atuação: Tecnologia, que envolve os negócios de software da companhia (soluções de ERP, RH, Verticais e Business Performance), e Produtos de Crédito (Supplier).

Analisando o segmento de Tecnologia, a Totvs apresentou um crescimento de 13,7% na receita recorrente do quarto trimestre, na comparação com o mesmo período de 2020, com um incremento de 13% na receita recorrente anualizada, que atingiu R$ 1,9 bilhão. Outro destaque em Tecnologia foi a forte adição líquida de R$ 300 milhões da ARR (Receita Recorrente Anualizada) em 2020, com crescimento recorde de 35% no quarto trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior.

No segmento de Produtos de Crédito (Supplier), a produção de crédito atingiu um recorde de R$ 1,9 bilhão no quarto trimestre, com crescimento de 9% em comparação aos três meses anteriores. O número representa um novo patamar histórico e demonstra que, após uma forte recuperação em ‘V’, a partir do final do segundo trimestre, os resultados de Produtos de Crédito seguem em uma trajetória de crescimento. Esses números são bastante positivos considerando a mudança feita na estrutura de capital da Supplier, com a cessão majoritária da carteira de crédito ao FIDC, encerrando o período após aquisição da Supplier pela Totvs com ROE (Retorno sobre o Patrimônio Líquido) de 37,4% frente aos 20,3% do ano de 2019.

Klabin (KLBN4)

A Klabin teve lucro líquido de R$ 1,3 bilhão no quarto trimestre, mais do que dobrando o resultado do mesmo período de 2019, com o maior volume de vendas, recuperação de preços e a depreciação cambial beneficiando as receitas.

A receita líquida somou R$ 3,3 bilhões de outubro a dezembro, crescimento de 22% na comparação ano a ano, com o mercado interno respondendo por 65%. O volume de vendas somou 941 mil toneladas, de 927 mil um ano antes.

O resultado operacional medido pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado alcançou R$ 1,3 bilhão (R$ 1,1 bilhão de se excluídos efeitos não recorrentes) em relação a R$ 965 milhões registrados no mesmo período de 2019. Projeções compiladas pela Refinitv apontavam Ebitda de R$ 1,1 bilhão.

No fechamento do último trimestre de 2020, o endividamento líquido da Klabin somava R$ 19,782 bilhões, acima do montante apurado ao final de 2019 (R$ 14 bilhões), mas abaixo do valor registrado no final do terceiro trimestre do ano passado (R$ 21 bilhões).

O fluxo de caixa livre ajustado da Klabin, desconsiderando fatores discricionários e projetos de expansão, atingiu R$ 1,1 bilhão no trimestre, de R$ 679 milhões um ano antes.

O resultado financeiro ficou negativo em R$ 176 milhões, contra resultado negativo de R$ 30 milhões um ano antes, com as despesas financeiras somando R$ 718 milhões, fruto majoritariamente de despesa não recorrente relativa à mensuração de cálculo de atualização monetária de crédito de IPI, no valor de R$ 310 milhões.

TIM Participações (TIMS3)

A TIM teve lucro líquido de R$ 1,013 bilhão no quarto trimestre de 2020, alta de 10,4% em relação aos últimos três meses do ano anterior, com melhora no resultado financeiro, de acordo com dados divulgados na noite de terça-feira.

A receita líquida cresceu 2% ano a ano, para R$ 4,6 bilhões, com crescimento nos serviços móvel (+1,5%) e fixo (+8%). A receita média mensal por usuário (ARPU) cresceu 7,7% no segmento móvel e 8,2% na TIM Live.

A base móvel, porém, caiu 5,5%, para 51,433 milhões de clientes, puxada pela queda de 10,2% no segmento pré-pago. A base de usuários 4G, porém, subiu 3,3%, a 40,301 milhões de clientes; e a base TIM Live subiu 14%, a 645 mil clientes.

O resultado operacional medido pelo Ebitda reportado somou R$ 2,3 bilhões, acréscimo de 1,8%, com a margem Ebitda em 50,3%, de 50,4% um ano antes.

O resultado financeiro ainda ficou negativo em R$ 44 milhões, mas representou uma melhora expressiva em relação ao resultado negativo de R$ 236 milhões no quarto trimestre de 2019. O fluxo de caixa operacional somou R$ 2 bilhões no quarto trimestre, abaixo dos R$ 2,2 bilhões um ano antes, embora acima dos R$ 1,3 bilhão no terceiro trimestre.

Toyota Motor (TMCO34)

A Toyota declarou ontem (10) que tem estoque de chips que deve durar até quatro meses e não espera que uma escassez global dos componentes impacte a produção de imediato, aumentando a previsão de lucro do ano para crescimento de 54%.

Ao contrário de outras montadoras, incluindo as japonesas Nissan e Honda, que tiveram que cortar a produção por causa da escassez de semicondutores, a Toyota elevou a produção no ano fiscal encerrado em março. As ações da Toyota, maior montadora do mundo em vendas, fecharam com alta de 1,7% após atingir seu nível mais alto desde julho de 2015.

“Para o curto prazo, não vemos qualquer redução no volume de produção devido à escassez de chips”, disse o vice-presidente financeiro, Kenta Kon, em apresentação.

Questionado sobre porque a montadora está vendo um impacto limitado em comparação com os concorrentes, Kon disse que a Toyota tem informado constantemente seus planos de volume de produção de curto e longo prazo aos fornecedores.

A fabricante do crossover RAV4 SUV e do híbrido Prius disse que espera vender 9,73 milhões de veículos neste ano, 3,3% acima da previsão anterior de 9,42 milhões, mas ainda abaixo dos 10,46 milhões do ano passado.

Equinor (E1QN34)

A norueguesa Equinor fechou um acordo para a venda de seus ativos de “shale” (petróleo não convencional) em Bakken, nos Estados Unidos, após uma década de prejuízos multimilionários e críticas por decisões erradas de investimento.

A Equinor venderá os ativos nos Estados de Dakota do Norte e Montana para a Grayson Mill Energy, empresa apoiada pela companhia de private equity EnCap Investments, por cerca de US$ 900 milhões.

A região de Bakken foi desenvolvida durante o “boom do shale” dos EUA na década passada, e atualmente produz mais de 1 milhão de barris de petróleo por dia, cerca de metade do pico atingido no final de 2019.

A região tem um alto custo de produção por barril, e as demandas de investidores por disciplina fizeram com que os produtores reduzissem o bombeamento desde o início da pandemia de coronavírus.

“A Equinor está otimizando seu portfólio de óleo e gás para fortalecer a lucratividade e torná-lo mais robusto para o futuro”, disse em comunicado o presidente-executivo da empresa, Anders Opedal.

Nova Harmonia

O grupo de loteamento urbano Nova Harmonia, com sede em Goiás, pediu ontem o registro para uma Oferta Pública Inicial (IPO, em inglês), no momento em que empresas do ramo imobiliário no Brasil têm enfrentado análises mais cuidadosas de investidores.

O grupo, que surgiu no final do ano passado da união entre a Harmonia Urbanismo e a Nova Bairros Planejados, tem foco em cidades com população a partir de 75 mil habitantes, um universo de 436 municípios, especialmente nas regiões Norte e Centro-Oeste do país.

A Nova Harmonia, que afirma no prospecto preliminar ter tido receita líquida de R$ 262 milhões em 2020, diz também que seu estoque de terrenos soma R$ 5,6 bilhões, ativos que serão usados para lançar cerca de 60 mil unidades imobiliárias.

A oferta, que será coordenada por XP e Itaú BBA, visa a captação de recursos para a compra de terrenos, reforma ativos atuais, reforço do caixa e aceleração do ritmo de obras. Membros das famílias fundadoras das empresas, que deram origem ao grupo, também vão vender participação no negócio.

OceanPact (OPCT3)

A Oferta Inicial de Ações (IPO) da prestadora de serviços ambientais e de logística marinha Oceanpact saiu a R$ 11,15, levantando o montante de R$ 1,22 bilhão, segundo dados publicados ontem (10) pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A operação saiu no piso da faixa indicada pelos coordenadores da oferta, que ia até R$ 13,85 por papel.

Do montante total, R$ 920 milhões correspondem à venda de novas ações, cujos recursos a Oceanpact usará para ampliar sua frota de navios, que atualmente conta com 23 embarcações, e adquirir máquinas e equipamentos.

Atuais acionistas da companhia também venderam o equivalente a R$ 300 milhões em participações no negócio. A estreia das ações da Oceanpact na Bovespa deve acontecer amanhã (12).

CSN Mineração (CMIN3)

Hoje é o último dia para os pequenos investidores reservarem as ações da CSN Mineração. A estreia na Bolsa está prevista para a próxima quinta-feira (18).

A CSN Mineração estabeleceu o intervalo indicativo de preço por ação entre R$ 8,50 e R$ 11,35. O valor será fixado amanhã (12). Ao preço médio de R$ 9,93, a empresa chegará à bolsa com valor de mercado de R$ 55,5 bilhões, ofertando cerca de 533 milhões de ações.

Com o dinheiro captado na oferta primária, a CSN Mineração planeja investir em seus projetos de expansão, como o Itabirito P15 e os Projetos de Recuperação de Rejeitos de Barragem Pires e Casa de Pedra. Os acionistas vendedores são a CSN e as sócias asiáticas JBMF (Japão Brasil Minério de Ferro Participações) e Posco. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).