Forbes Radar: CSN, Carrefour, Ford, Jalles Machado, e outros destaques corporativos

No Forbes Radar de hoje (18), o Grupo Carrefour Brasil registrou lucro líquido de R$ 886 milhões no último trimestre de 2020 e anunciou sua nova política de pagamento de dividendos para 45% do lucro líquido ajustado (contra 25% antes). Ainda entre os destaques do dia, a Privalia e a Mater Dei registraram ontem na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pedido para abertura de capital.

Veja estas e outras notícias de negócios do dia:

Braskem (BRKM5)

A Braskem informou que a Agência Nacional de Mineração (ANM) acatou o pedido de reconsideração acerca do ofício da ANM que exigia a implementação de medidas adicionais ao plano de fechamento de mina em Maceió, proposto pela empresa. Conforme divulgado no Fato Relevante de 26 de novembro de 2020, tais medidas adicionais poderiam acarretar um valor estimado de aproximadamente R$ 3 bilhões, se implementadas.

A decisão da ANM mantém a continuidade da implementação das medidas previstas, cujo valor de R$ 1,2 bilhão já havia sido provisionado.

CSN (CSNA3)

A subsidiária da CSN, a CSN Mineração distribuirá aproximadamente 161 mil ações na oferta primária e cerca de 372 mil na distribuição secundária em estreia hoje (18) na B3. As ações começarão a ser negociadas no nível 2 da Bolsa, e a liquidação da oferta está prevista para ocorrer amanhã.

A distribuição secundária compreende 327.593.584 da CSN, sem considerar as ações suplementares, 37.591.014 da Japão Brasil Minério de Ferro Participações e 7.565.145 da POSCO.

Os recursos brutos para a CSN Mineração da oferta primária são de R$1 bilhão e da oferta secundária são de R$2 bilhões, em ambos os casos, sem dedução das respectivas comissões e despesas estimadas da oferta.

Carrefour (CRFB3)

O Grupo Carrefour Brasil registrou no quarto trimestre de 2020, o lucro líquido de R$ 886 milhões, 31,1% a mais que no mesmo período do ano anterior, com vendas brutas totalizando R$ 22 bilhões, crescimento de 26,8% em relação ao 3T20. Ainda no trimestre, o Ebitda ajustado (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 1,7 bi, aumento de 18,2% com margem de 8,7%.

A nova política de pagamento do Carrefour de até 45% do Lucro Líquido Ajustado (o que era de 25% anteriormente) será de R$ 0,62 por ação. De acordo com o documento enviado à imprensa, “esse valor é possível graças à geração de fluxo de caixa consistente e balanço robusto. Gerando um dividendo adicional de 2020 de R$ 759 milhões a ser recomendado na próxima Assembleia Geral, além dos R$ 482 milhões pagos antecipadamente em 2020.”

Aura Minerals (AURA33)

Kevin Shiell foi nomeado como novo gerente-geral do projeto Gold Road da Aura Minerals, mina de ouro subterrânea localizada no estado do Arizona, Estados Unidos,

Kevin tem experiência no projeto Gold Road, onde já trabalhou anteriormente. Após sua passagem pela Gold Road no início da década de 1990, Kevin seguiu sua carreira atuando como vice-presidente na Hecla Nevada. Também atuou como gerente na Klondex Gold & Silver, Dynatec Corporation e Addwest Minerals.

AES Brasil (TIET11)

A AES Brasil firmou um acordo de compra e venda de energia com a MINASLIGAS para o fornecimento pela companhia de 21 MW médios pelo prazo de 20 anos, com entrega de energia a partir de 2023.

O parque eólico será no Complexo Eólico Cajuína, sendo o segundo projeto a ser desenvolvido no Rio Grande do Norte, região onde a AES Brasil cria seu cluster eólico (plataforma com turbinas eólicas que trabalham juntas), com início de construção esperado para 2021. O projeto possui 46 MW de capacidade eólica.

FORD (FDMO34)

A Ford anunciou que sua linha de carros na Europa será toda elétrica até 2030, com a montadora correndo para superar metas de emissões de CO2 e proibições iminentes em alguns países de veículos movidos a combustíveis fósseis.

A montadora disse que investirá US$ 1 bilhão nos próximos 30 meses na conversão de sua fábrica de montagem de veículos em Colônia, na Alemanha, para se tornar a primeira fábrica de veículos elétricos da montadora norte-americana na Europa.

CIELO (CIEL3)

A Cielo vai começar a usar o reconhecimento facial nas compras presenciais feitas com cartões de crédito. A solução, desenvolvida em parceria com a startup catarinense Payface, começa em fase piloto em uma unidade da Drogaria Iguatemi, em um shopping da capital paulista, na quinta-feira (18), sendo depois estendida para outras lojas da rede em São Paulo e em Curitiba.

Para usar essa tecnologia, o consumidor deve fazer um cadastro prévio de seu rosto e do seu cartão de crédito no aplicativo Payface. A solução dispensa a necessidade de dispositivos extras, já que pode ser acionada apenas com o uso de um celular.

Segundo as empresas parceiras, a tecnologia não pode ser fraudada com fotos dos usuários, que podem ser reconhecidos mesmo que estejam usando máscara de proteção.

Jalles Machado (JALL3)

A Jalles Machado, produtora de açúcar e etanol recém chegada à B3, pretende manter planos de investimento em expansão de operações, apesar do recuo na movimentação financeira gerada por sua Oferta Pública Inicial, ante projeção preliminar, informou a companhia.

Em cronograma publicado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em janeiro, a empresa esperava movimentar cerca de R$ 900 milhões com o IPO, com base em um ponto médio da faixa de R$ 10,35 a R$ 12,95 por ação. No entanto, a oferta realizada no início de fevereiro saiu a R$ 8,30 por papel e movimentou o montante de R$ 741,5 milhões.

“Houve um desconto de 20%, mas a empresa mantém o plano de investimentos porque parte dos planos faremos com dívidas”, disse o diretor financeiro da Jalles, Rodrigo Penna de Siqueira.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Privalia e Mater Dei

A Comissão de Valores Mobiliários recebeu dois novos pedidos de IPO na tarde de ontem. A plataforma de comércio eletrônico Privalia e a rede de saúde Mater Dei, ambas sem cronograma de oferta definido.

Com sede em Belo Horizonte, a Mater Dei oferece serviços hospitalares e oncológicos e tem 18% de participação de mercado dos leitos privados da capital mineira. Em 2020, o lucro líquido foi de R$ 72,6 milhões, queda de 47,4% ante 2019 (R$ 138,1 milhões). O Ebitda somou R$ 155,3 milhões, comparado com R$ 257,8 milhões em 2019, uma queda de 39,5%.

A Privalia, fundada em 2006 em Barcelona, começou suas operações no Brasil em 2008, no segmento de moda. Em 2016, foi adquirida pela varejista francesa Ventee-Privee (atual Veepee), tornando-se uma subsidiária integral, em um movimento que incluiu a operação brasileira. Em 2020, teve prejuízo de R$ 14 milhões, revertendo o lucro de 2019 (R$ 12 milhões). Ainda em comparação anual, a receita líquida cresceu 25%, para R$ 926 milhões, enquanto o Ebitda avançou 28,8%, a R$ 58 milhões.

Petrobras (PETR4) e Shell (RDSA34)

A produção de petróleo da Petrobras em janeiro somou uma média de 2,14 milhões de barris por dia (bpd), alta de cerca de 7,9% ante dezembro, segundo os dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. Já a produção de gás da empresa subiu 8,8%, para 97,869 milhões de metros cúbicos por dia.

No início de fevereiro, o diretor-executivo de Exploração e Produção da petroleira estatal, Carlos Alberto Pereira de Oliveira, afirmou que a produção de janeiro havia superado os níveis observados no último trimestre de 2020, quando houve um recuo devido a paradas programadas de plataformas.

Já a Shell (maior produtora privada do país e principal sócia da Petrobras nos campos do pré-sal) registrou queda de 2,07% na produção de petróleo, para 343.513 bpd em janeiro, comparado com dezembro. A produção de gás subiu 2%, para 15,324 milhões de metros cúbicos por dia.

Mosaic (MOSC34)

A Mosaic informou o lucro líquido de US$ 828 milhões no quarto trimestre de 2020. Um ano antes, a empresa teve prejuízo líquido de US$ 921 milhões. No período, a receita líquida somou US$ 2,5 bilhões, alta de 18,4% em comparação a 4T19.

No acumulado de 2020, a Mosaic teve lucro líquido de US$ 666,1 milhões, ante prejuízo líquido de US$ 1,07 bilhão em 2019. A receita líquida anual da companhia atingiu US$ 8,7 bilhões na mesma comparação, recuo de 2,5%. O Ebitda ajustado ficou em US$ 1,56 bilhão, alta de 15%. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).