Forbes Radar: Petrobras, Ambev, Marfrig e outros destaques corporativos

O Forbes Radar de hoje (25) destaca o lucro líquido recorde da Petrobras no quarto trimestre de 2020, de R$ 59,9 bilhões. O resultado da Ambev no mesmo período também foi positivo: R$ 6,89 bilhões, uma alta de 63,3% em relação a 2019. Nesta quinta começa o período de reserva das ações da Agrogalaxy.

Veja estas e outras notícias de negócios do dia:

Petrobras (PETR4)

A Petrobras teve lucro líquido recorde de R$ 59,9 bilhões no quarto trimestre do ano passado, ante R$ 8,15 bilhões no mesmo período de 2019, devido a, principalmente, uma reversão de baixa contábil bilionária relacionada aos preços do petróleo, informou a companhia ontem (24).

Após um impairment (teste que mensura a perda de capacidade de recuperação do valor de um ativo) de mais de R$ 65 bilhões no primeiro trimestre em função da crise aberta pela pandemia, o quarto trimestre registrou uma reversão de quase metade do valor.

Além disso, ajudaram nos resultados os ganhos cambiais de R$ 20 bilhões e reversão de gastos passados do plano de saúde de Assistência Multidisciplinar de Saúde (AMS), em R$ 13,1 bilhões, decorrente da revisão de obrigações futuras da empresa.

O lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda) ajustado somou R$ 47 bilhões entre outubro e dezembro, alta de 28,8% ante o mesmo período de 2019. Na comparação com o terceiro trimestre, o Ebitda ajustado avançou 41%, principalmente devido ao ganho oriundo da reversão de gastos passados do plano AMS.

O conselho de administração da companhia aprovou a remuneração aos acionistas sob a forma de dividendos no valor de R$ 10,3 bilhões, equivalente a R$ 0,7874 por ação ordinária e preferencial em circulação, com base no resultado anual de 2020.

Esse valor é equivalente a 5% do capital social, aplicado tanto às ações preferenciais quanto às ordinárias. Do valor a ser pago, R$ 5,7 bilhões são referentes à destinação do resultado do exercício de 2020 e R$ 4,6 bilhões são oriundos da conta de reserva de retenção de lucros.

O dividendo proposto, superior ao mínimo obrigatório, foi possibilitado pela forte geração de caixa alcançada pela companhia em 2020. O pagamento será realizado no Brasil em 29 de abril de 2021.

A Petrobras também informou que assinou ontem (24) uma carta de intenção com a SBM Offshore para afretamento e prestação de serviços do FPSO – floating production storage and offloading – (unidade flutuante que produz, armazena e transfere petróleo) a ser instalado no campo de Búzios, localizado no pré-sal da Bacia de Santos.

O FPSO será a sexta unidade do sistema definitivo a ser instalada no campo de Búzios e terá capacidade de processamento de 225 mil barris de óleo e 12 milhões de m3 de gás por dia. Os contratos de afretamento e de serviços terão duração de 26 anos e três meses, contados a partir da aceitação final da unidade, prevista para 2024.

O projeto prevê a interligação de 15 poços ao FPSO, sendo seis produtores de óleo, seis injetores de água e gás, um injetor de gás e dois poços conversíveis, através de uma infraestrutura submarina composta por dutos rígidos de produção e injeção e dutos flexíveis de serviços.

Ontem também foi assinado com a SPE Miranga, subsidiária integral da PetroRecôncavo, contrato para a venda da totalidade de sua participação em nove campos terrestres de exploração e produção, denominados Polo Miranga, localizados no estado da Bahia.

O valor da venda total é de US$ 220,1 milhões, sendo: US$ 11 milhões pagos na presente data; US$ 44 milhões no fechamento da transação; US$ 80,1 milhões diferidos em três parcelas ao longo de três anos a partir do fechamento da transação e até US$ 85 milhões em pagamentos contingentes relacionados aos preços futuros do petróleo. Os valores não consideram os ajustes devidos até o fechamento da transação, que está sujeito ao cumprimento de condições precedentes, tais como a aprovação pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Por fim, a Petrobras também anunciou que seu conselho de administração, em reunião realizada ontem, aprovou a proposta de incorporação da Companhia de Desenvolvimento e Modernização de Plantas Industriais (CDMPI).

A incorporação visa a simplificação e otimização da estrutura societária da Petrobras. Por se tratar de incorporação de subsidiária integral, não haverá aumento de capital na Petrobras nem a emissão de novas ações. As ações representativas do capital social da CDMPI serão extintas, promovendo-se os necessários registros contábeis na Petrobras.

Ambev (ABEV3)

A Ambev registrou um lucro líquido no 4T20 de R$ 6,89 bilhões, uma alta de 63,3% em relação aos R$ 4,21 bilhões registrados no mesmo trimestre de 2019. O Ebitda alcançou R$ 8 bilhões, uma queda orgânica de 0,1% com margem bruta de 55,8%. No acumulado do ano, o Ebitda foi de R$ 21 bilhões, crescimento de 2,1% em relação ao ano anterior.

A receita líquida da empresa de outubro a dezembro de 2020 foi de R$ 18,5 bilhões, uma alta de 19,9% comparado com o 4T19. No acumulado de 2020, a receita da companhia foi de R$ 58,3 bilhões, avanço de 12,3% em relação a 2019.

Nossos resultados do 4T20 foram impactados positivamente por R$ 4,3 bilhões de créditos tributários extemporâneos decorrentes da decisão do Supremo Tribunal Federal de 2017 pela inconstitucionalidade da inclusão do ICMS na base de cálculo do PIS e da COFINS

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

AES Brasil (A1ES34)

A AES Brasil registrou lucro líquido de R$ 602,6 milhões no quarto trimestre de 2020, aumento de 471% na comparação com o mesmo período do ano anterior, por efeito de resoluções sobre o risco hidrológico (GSF).

No ano de 2020, o lucro líquido subiu 182,6%, para R$ 848 milhões. O Ebitda atingiu R$ 1,17 bilhão no quarto trimestre, aumento de mais de 300%, decorrente do ressarcimento do GSF no montante de R$ 947 milhões.

Para a empresa, um dos grandes destaques de 2020 foi a resolução do GSF, “um imbróglio de longa data e de extrema importância para a AES Brasil e para o setor elétrico como um todo”.

“Com isso, reconhecemos nos resultados do 4T20 o montante de R$ 947 milhões, referentes ao ressarcimento dos riscos não hidrológicos aplicados retroativamente”, disse a empresa.

A elétrica destacou também que em janeiro de 2021 a AES Brasil se apresentou voluntariamente para pagamento do saldo em aberto referente à liminar GSF, que afetava negativamente o resultado financeiro da companhia. O pagamento ocorreu no início de janeiro, no montante de R$ 1,3 bilhão.

A receita líquida da companhia no trimestre aumentou 3,2%, enquanto no ano teve leve alta de 0,6%, para pouco mais de R$ 2 bilhões. A geração de fonte hídrica, que responde pela maior parte da empresa, caiu 3,5% no ano, a de eólica recuou 7,6%, e a solar 42,8%.

Eletrobras (ELET6)

A Eletronuclear, subsidiária da Eletrobras, deve publicar hoje (25) um edital para contratação de empresa que retomará a obra civil da Usina de Angra 3 e realizará parte da montagem eletromecânica. A iniciativa integra o plano de aceleração do caminho crítico da usina. O objetivo é adiantar algumas atividades de construção antes mesmo de contratar a empreiteira que irá empreender a obra global e a construção da planta.

A expectativa é que a contratação ocorra até maio. Com isso, o primeiro concreto – marco importante da retomada das obras de Angra 3 – deve ser lançado em outubro. A contratação da empreiteira que dará sequência à obra está prevista para o segundo semestre de 2022.

O progresso físico global atual do empreendimento é de 65% e a entrada em operação da usina está programada para novembro de 2026.

SulAmérica (SULA11)

A SulAmérica teve forte queda no lucro no quarto trimestre, afetada pelo efeito da queda da Selic no resultado financeiro, maiores despesas com seguros em função do coronavírus e por resultados mais fracos na gestão de recursos.

A companhia anunciou ontem (24) que seu lucro líquido das operações continuadas de outubro a dezembro somou R$ 42,6 milhões, um tombo de 90% contra um ano antes.

Por um lado, o resultado financeiro despencou 69,4%, a R$ 33 milhões, refletindo o efeito da queda da Selic para a mínima de 2% ao ano sobre a carteira de títulos da companhia, entre outros fatores.

Em outra frente, os valores dos reajustes com cobrança suspensa espontaneamente ou por determinação da ANS somaram R$ 391,9 milhões no trimestre.

Além disso, as receitas de recursos de terceiros diminuíram em 53,7%, resultado do fraco desempenho na gestão de fundos em ano de volatilidade devido aos efeitos da crise. A divisão fechou o ano com R$ 45,9 bilhões em ativo, estável em 12 meses.

Em seguros, a SulAmérica teve maiores gastos com a inclusão da cobertura de sinistros ligados à Covid-19, além de menores vendas em função do cenário econômico. A sinistralidade somou 79,5%, alta de 6,6 pontos em relação ao ano anterior.

O retorno sobre o patrimônio líquido, índice que mede como uma instituição financeira remunera o capital de seus acionistas, caiu 5,7% em termos recorrentes, para 11,9%.

Marfrig (MRFG3)

A Marfrig assinou a contratação de um financiamento de US$ 30 milhões com o Fundo de investimento internacional &Green. A negociação contou ainda com o apoio do IDH (Fundo de investimento misto internacional, criado em julho de 2017, com estrutura evergreen, e que apoia projetos comerciais nas cadeias de valor da produção agrícola com o objetivo de proteger e restaurar florestas tropicais, e tornar a agricultura mais sustentável e inclusiva).

Para viabilizar o apoio financeiro, o &Green prevê uma série de compromissos por parte da Marfrig: desmatamento zero, conservação de florestas, recomposição ou compensação de vegetação nativa e intensificação do uso de áreas de baixa produtividade.

Modalmais

A plataforma de investimentos Modalmais pediu também ontem (24) o registro para fazer sua oferta inicial de units (recibos representativos de uma ação ordinária e duas preferenciais cada um) e captar recursos para investir em tecnologia, marketing, aquisições de negócios e ampliar sua oferta de crédito.

A operação, que será coordenada por Credit Suisse, Bank of America e Itaú BBA, também servirá para que o principal sócio, o Modal Controle, venda uma fatia no negócio, no que será acompanhado por um grupo de acionistas pessoas físicas.

O grupo, que afirmou ter fechado 2020 com uma base de 1,1 milhão de clientes, vem recentemente ampliando parcerias e aquisições de negócios menores para fortalecer seu negócio. Em junho passado, firmou acordo por meio do qual concedeu ao Credit Suisse a opção de comprar até 35% do negócio, acordo que avaliou o Modalmais em cerca de R$ 5 bilhões.

Latam (LTM33) e Delta (DEAI34)

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou ontem sem restrições o contrato de formação de aliança estratégica entre a companhia aérea chilena Latam e a norte-americana Delta.

Por meio da operação, as empresas irão explorar conjuntamente os serviços de transporte aéreo de passageiros e cargas em rotas entre Estados Unidos, Canadá e países da América do Sul, afirmou o Cade em comunicado à imprensa.

O conselheiro-relator do caso, Luis Braido, afirmou que o negócio não apresenta preocupações concorrenciais em nenhum dos segmentos, informou o Cade. A Latam é a maior companhia aérea da América Latina e a Delta é um dos maiores grupos de aviação do mundo.

Após analisar as rotas que o acordo abrange, Braido concluiu que a operação “não implica em eliminação da concorrência em parte substancial de mercado relevante, não cria ou reforça uma posição dominante e não resulta na dominação de mercado relevante de bens ou serviços”, afirmou o Cade.

Agrogalaxy (ELMD3)

Hoje começa o período de reserva das ações da Agrogalaxy para pequenos investidores. O valor mínimo para participar da primeira venda de ações da empresa é de R$ 3 mil, e o máximo, de R$ 1 milhão.

A empresa estabeleceu o intervalo indicativo de preço por ação entre R$ 15 e R$ 20 (o valor será fixado em 10 de março). A oferta de 81,4 milhões de ativos pode levantar o montante de R$ 1,4 bilhão. Contando com um lote adicional de 16,2 milhões de ações e suplementar de 12,2 milhões de ações, a oferta chegaria a R$ 1,9 bilhão.

Ultrapar (UGPA3)

O Ultrapar teve lucro líquido de R$ 431 milhões no 4T20. No acumulado do ano, a empresa registrou lucro líquido de R$ 927 milhões, uma alta de 130,2% em relação a 2019.

O Ebitda foi de R$ 836,4 milhões no último trimestre do ano passado, com alta de 212,4% comparado com 4T19. Em 2020, o Ebitda foi de R$ 3 bilhões, alta de 24% em relação ao ano anterior.

(Com Reuters)

  • Vale (VALE3)
  • Localiza (RENT3)
  • Banco Inter (BIDI11)
  • BRF (BRFS3)
  • Fleury (FLRY3)
  • Ecorodovias (ECOR3)
  • Minerva (BEEF3)
  • Burger King (BKBR3)
  • Banco BMG (BMGB4)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).