Ibovespa sobe com Vale, mas pressão negativa do exterior segue no radar

O dólar registra leve valorização contra o real nesta manhã, ganhando 0,03% e negociado a R$ 5,51 na venda.

Ana Paula Pereira
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa opera em alta na abertura dos negócios de hoje (26), ganhando 0,51% aos 112.829 pontos, apoiado nos papéis da Vale (VALE3) que subiam quase 2% às 10h15, horário de Brasília, após a mineradora reportar lucro líquido em 2020 de US$ 4,9 bilhões, ante prejuízo de US$ 1,7 bilhão no ano anterior.

O tom da sessão, no entanto, deve ser de cautela. O rendimento dos títulos públicos norte-americanos deve seguir pressionando as ações em Wall Street, movimento que pode mais uma vez impactar o desempenho da Bolsa brasileira. Na semana, a disparada nos rendimentos dos Treasuries com vencimento em 10 anos, para próximo de 1,6%, derrubou os índices acionários: o S&P 500 caminha para fechar a semana com o pior desempenho em um mês e o Nasdaq Composite teve ontem a maior queda diária (-3,52%) desde outubro.

A elevação dos juros dos títulos norte-americanos reflete os receios de pressão inflacionária na economia dos EUA. De acordo com análise da Genial Investimentos, fatores como a forte recuperação da atividade econômica, a evolução positiva da vacinação e a expectativa de aprovaçao do pacote fiscal de US$ 1,9 trilhão colaboram para as preocupações com a inflação. Ainda nesta manhã serão divulgados nos EUA os dados oficiais sobre a inflação de janeiro, a PCE inflation.

O dólar registra leve valorização contra o real nesta manhã, ganhando 0,03% e negociado a R$ 5,51 na venda, ampliando os ganhos da sessão anterior e caminhando para fechar a semana em forte alta.

Nos indicadores, a PNAD Contínua divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que a taxa de desocupação da força de trabalho no Brasil caiu para 13,9% no quarto trimestre. A média de desocupação para o ano de 2020 foi de 13,5%, a maior desde 2012, o que corresponde a cerca de 13,4 milhões de pessoas na fila por um trabalho no país. (Com Reuters)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: