JPMorgan testa módulo de pagamentos por meio de blockchain

REUTERS/Mike Segar
REUTERS/Mike Segar

O blockchain ainda não teve impacto generalizado nos serviços financeiros

O JPMorgan testou recentemente pagamentos em blockchain entre satélites, disseram executivos do banco à Reuters, mostrando que os dispositivos digitais podem usar a tecnologia por trás das moedas virtuais para transações.

A chamada Internet das Coisas (IoT), em que dispositivos se conectam uns aos outros, está mais associada a eletrônicos de consumo, incluindo alto-falantes inteligentes como Amazon Echo e Google Home, e os bancos querem estar prontos para processar pagamentos quando esses dispositivos inteligentes começarem a fazer transações de forma autônoma.

Umar Farooq, presidente da Onyx, empresa de blockchain do JPMorgan, achou que o espaço é o lugar legal para experimentar.

“A ideia era explorar os pagamentos de IoT de uma forma totalmente descentralizada”, disse Farooq. “Nenhum lugar é mais descentralizado e separado da terra do que o espaço.”

Para executar o experimento espacial, a equipe de blockchain do banco não enviou seus próprios satélites ao espaço, mas trabalhou com a empresa dinamarquesa GOMspace, que permite que terceiros rodem software em seus satélites.

Farooq disse que o teste do satélite mostrou que as redes de blockchain podem potencializar transações entre objetos do dia a dia. O teste também mostrou que pode ser possível criar um mercado onde satélites enviam dados uns aos outros em troca de pagamentos, à medida que mais empresas privadas lançam seus próprios dispositivos no espaço, disse Tyrone Lobban, chefe de lançamento de blockchain da Onyx.

O blockchain, que surgiu primeiro como software que sustenta as criptomoedas, é um livro-razão digital compartilhado de transações. As empresas financeiras investiram milhões de dólares para encontrar usos para a tecnologia, na esperança de reduzir custos e simplificar processos de TI, como liquidação de títulos ou pagamentos internacionais. Mas até agora o blockchain ainda não teve impacto generalizado nos serviços financeiros.

O JPMorgan tem sido um dos bancos mais ativos no blockchain, anunciando que criou seu próprio livro-razão distribuído chamado Quorum em 2016. O banco também desenvolveu uma moeda digital chamada JPM Coin e, em 2020, criou a Onyx.

A Onyx tem mais de 100 funcionários e seus aplicativos de blockchain estão perto de gerar receitas para o banco, disse. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).