Lucro do Itaú cai 26% no 4º tri, a R$ 5,38 bilhões

O retorno sobre o patrimônio líquido do banco aumentou 0,4% em relação ao terceiro trimestre.

Redação
Compartilhe esta publicação:

Divulgação/Forbes

Acessibilidade


O Itaú Unibanco (ITUB4) reportou ontem (1°) um lucro recorrente de quarto trimestre praticamente em linha com as estimativas de analistas. O banco teve queda de 26,1% no lucro contra um ano antes, a R$ 5,38 bilhões, 1% abaixo da estimativa de consenso dos analistas, de R$ 5,44 bilhões, compilada pela Refinitiv.

O retorno sobre o patrimônio líquido, um indicador de lucratividade entre os bancos, aumentou 0,4% em relação ao terceiro trimestre, para 16,1%. Em nota, o novo presidente-executivo do Itaú, Milton Maluhy, disse que, para enfrentar um 2021 desafiador, o banco buscará cortar custos e acelerar o crescimento.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

A receita líquida de juros do banco e as provisões para perdas com inadimplência seguiram sob pressão, enquanto as receitas com tarifas e serviços diminuíram. A margem de juros caiu 9,5% ano a ano, principalmente devido a uma mudança na carteira de crédito para linhas de menor risco. O custo do crédito do banco subiu 3,8% no comparativo anual, para R$ 6 bilhões, mas o banco disse que foi devido a uma provisão para uma empresa.

A carteira de crédito do Itaú cresceu 2,7% no trimestre, impulsionada principalmente por consumidores e pequenas empresas. Seu índice de inadimplência em 90 dias ficou quase estável em 2,3%, mas o banco viu mais inadimplências entre pequenas e médias empresas com o fim de um período de carência.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

No lado dos custos, o Itaú teve aumento de 5,1% nas despesas operacionais, com novas contratações e remuneração variável. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: