MicroStrategy compra mais US$ 1 bi em bitcoins

SOPA Images/GettyImages
SOPA Images/GettyImages

As participações em bitcoins da empresa estão avaliadas em cerca de US$ 4,48 bilhões, segundo cálculos da Reuters

A MicroStrategy, principal patrocinadora corporativa do bitcoin, disse hoje (24) que comprou 19.452 bitcoins, equivalentes a cerca de US$ 1,03 bilhão, aumentando suas participações na criptomoeda.

A empresa, cujo presidente Michael Saylor é um dos maiores defensores do bitcoin, comprou a criptomoeda em dinheiro a um preço médio de cerca de US$ 52.765 cada.

Maior empresa de inteligência de negócios de capital aberto do mundo, a MicroStrategy passou o ano passado acumulando bitcoins após fazer seu primeiro investimento em agosto.

A empresa no início deste mês fez uma oferta de quase US$ 1 bilhão em notas conversíveis com os recursos usados para comprar bitcoin.

O preço do bitcoin atingiu recentemente níveis recordes, já que grandes empresas, como BNY Mellon, BlackRock e Mastercard apoiaram certas criptomoedas, com a Tesla investindo US$ 1,5 bilhão em bitcoin.

A MicroStrategy possui cerca de 90.531 bitcoins, que foram comprados a um preço de compra agregado de cerca de US$ 2,17 bilhões e um preço médio de compra de cerca de US$ 23.985 por bitcoin, disse a empresa nesta quarta.

As participações em bitcoins da empresa estão avaliadas em cerca de US$ 4,48 bilhões, segundo cálculos da Reuters.

“Continuaremos a seguir nossa estratégia de adquirir bitcoin com excesso de caixa”, disse Saylor, da MicroStrategy. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).