Petrobras tem queda de 16,6% na exportação de petróleo do 4° tri

PauloWhitaker/Reuters
PauloWhitaker/Reuters

Produção total de petróleo e gás indicou uma queda de 11,3% ante o mesmo período em 2019

Em seu relatório de produção, a Petrobras divulgou ontem (2) que a produção de óleo e gás natural liquefeito (LGN) da companhia no Brasil no quarto trimestre foi de 2,1 milhões de barris de petróleo por dia (bpd), queda de 9,7% ante o terceiro trimestre e de 10,8% na comparação com o mesmo trimestre de 2019.

Já a produção total de petróleo e gás da Petrobras atingiu 2,6 milhões de barris de óleo equivalente no quarto trimestre, queda de 9,1% na comparação com o terceiro trimestre e de 11,3% ante o mesmo período em 2019.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

A queda registrada na produção e na exportação de petróleo no quarto trimestre, foi resultado de um aumento de paradas programadas para manutenção de plataformas, que foram concentradas no quarto trimestre, uma vez que grande parte da campanha de manutenção não pôde ser executada no segundo e terceiro trimestre, devido à pandemia. Além de uma recuperação da demanda interna por combustíveis, informou a companhia nesta terça-feira.

A petroleira ainda confirmou recordes de produção e exportação de petróleo em 2020, com suporte de demanda da China, enquanto o consumo interno foi pressionado pelo impacto do coronavírus em boa parte do ano.

As exportações de petróleo registraram média de 618 mil bpd no último trimestre do ano, uma queda de 16,6% em relação ao terceiro trimestre e de 4,5% ante o mesmo período de 2019. O indicador acompanhou a recuperação do mercado doméstico. “As exportações caíram devido à retomada do mercado interno, porém permaneceram em nível elevado”, afirmou a petroleira.

“Em janeiro continuamos com uma ótima performance em exportações de petróleo, batemos mais um recorde, no terminal de Angra dos Reis, de 19,3 milhões de barris de petróleo exportados”, disse a petroleira. O recorde anterior, em maio de 2020, foi de 18,7 milhões de barris.

Já a importação de petróleo atingiu 112 mil barris por dia no quarto trimestre, aumento de 28,7% ante o terceiro trimestre e queda de 27,3% na comparação anual. No ano, a importação caiu 42,3%, para 97 mil barris ao dia.

Mercado doméstico

O volume total de vendas das refinarias no mercado interno cresceu 2,1% no quarto trimestre ante o mesmo período de 2019. O fator de utilização do parque de refino da petroleira foi de 82% no quarto trimestre, ante 83% no terceiro trimestre e de 79% em 2020.

No ano, apesar da recuperação do mercado no segundo semestre, houve queda de 5,1% no volume de vendas em relação a 2019, em função dos impactos na demanda decorrentes da pandemia, principalmente no segundo trimestre.

As vendas de diesel do quarto trimestre registraram leve crescimento de 0,7% em relação ao terceiro trimestre, e 8,2% com relação ao quarto trimestre de 2019. “Importante ressaltar que geralmente no quarto trimestre as vendas são inferiores às do terceiro, em função da sazonalidade do consumo. Contudo, as vendas de diesel do quarto trimestre não acompanharam a sazonalidade típica, devido aos leilões realizados”, disse a Petrobras.

Houve também impacto do menor teor médio obrigatório na mistura de biodiesel no diesel entre os trimestres, que foi de 11,3% na média do 3T20 (indicador que mede o crescimento das empresas pós flexibilização da quarentena) para 10,7% na média do 4T20 (documento que informa todas as receitas, despesas, lucros, eventuais prejuízos e resultado das operações da empresa em determinado período), em virtude das reduções temporárias de teor obrigatório de biodiesel.

As vendas de gasolina no quarto trimestre registraram crescimento de 3,2% em relação ao terceiro trimestre, seguindo a sazonalidade típica do último trimestre. Ante o mesmo período de 2019, houve alta de 0,8%. De um ano completo para o outro, as vendas do combustível tiveram retração de 9,3%, devido às restrições à mobilidade impostas pela pandemia. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).