Preços da prata disparam em nova aposta de traders contra fundos de hedge em Wall Street

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

#Silversqueeze está nos trending topics do dia e cotação do metal vai a máximas em oito ano

Os investidores de varejo do Reddit mais uma vez se posicionaram contra os fundos de hedge e os gestores de patrimônios. A hashtag “Silversqueeze” está no trending topics das redes sociais, incluindo Twitter e Reddit, e os investidores estão comprando prata como se não houvesse amanhã, fazendo o metal ultrapassar a marca de US$ 30 na manhã de hoje (1), acompanhando o movimento de ETFs de prata que tiveram uma entrada maciça na última sexta-feira (29). No entanto, os traders do Reddit precisam entender que o mercado de prata é muito mais líquido do que o de ações individuais, como a GameStop, o AMC e o Blackberry, causando dano real para alguns fundos de hedge tradicionais na semana passada.

Preços da prata

Os preços da prata registraram duas semanas consecutivas de ganhos, mas a grande corrida altista começou em 28 de janeiro, quando o preço de abertura da prata foi de US$ 25,26. Na última sexta-feira, os preços da prata atingiram uma alta de US$ 27,65 e o rally empurrou o preço da prata à vista para acima dos US$ 30 na manhã de hoje. Em outras palavras, a prata subiu quase 19% desde quinta-feira (28). Além disso, o ganho percentual de hoje é o maior desde 2008.

Entrada de recursos nos ETFs

A conversa no fórum do Reddit WallStreetBets mostra que os investidores de varejo vão despejar uma grande soma de dinheiro em ETFs de prata, o que não só mudará os preços do metal, mas também trará à tona o jogo dos fundos de hedge, tornando públicas práticas de manipulação nos preços.

O iShare Silver Trust da Blackrock, o maior ETF de prata, teve um fluxo sem precedentes na sexta-feira. Quase US$ 944 milhões foram investidos neste ETF apenas na última sexta-feira (29).

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Oportunidade para short squeeze

A prata é diferente em muitos aspectos das ações. Um short squeeze na prata, por exemplo, pode ser difícil porque esse é um mercado muito mais profundo e com maior liquidez. Ou seja, o valor de mercado da GameStop era de US$ 1,4 bilhão em meados de janeiro, mas aumentou 16 vezes quando os traders do Reddit começaram a falar sobre a ação. Se olharmos para a quantidade de prata armazenada nos cofres de Londres, isso é quase 1,08 bilhão de onças de prata, de acordo com os dados da LBMA, divulgados em novembro de 2020. Isso coloca o valuation da prata armazenada nesses cofres em quase US$ 32 bilhões.

No entanto, não seria sensato subestimar o poder de compra dos investidores de varejo, isso foi claramente demonstrado na semana passada. A tarefa de um short squeeze pode ser difícil, mas o fato é que os fundos de hedge estão contra a parede enquanto os traders do varejo estão com os ganchos na mão.

O quanto os preços podem subir?

Falando de uma perspectiva técnica, os preços da prata estão extremamente supervalorizados (negociados acima do seu valor). O Relative Strength Index no período diário chegou perto de US$ 70, o que significa ser provável um retrocesso. Se houver uma retração, os preços podem retornar ao nível de US$ 27 a US$ 28.

Os touros estão no controle no momento. Fato é que os preços da prata subiram acima de US$ 30 hoje pela manhã, e a próxima grande resistência psicológica é na faixa entre US$ 35 e US$ 40.

Palavra final

Se os fatos da semana passada servirem de referência, o preço da prata provavelmente permanecerá altamente volátil, já que os traders seguirão apostando na hashtag “Silversqueeze” para rivalizar com os investidores de Wall Street.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).