Riscos de falências nos EUA permanecem consideráveis, diz Fed

Rudy Sulgan/GettyImages
Rudy Sulgan/GettyImages

Segundo o banco central, o endividamento das empresas “agora está perto de máximas históricas”

Os riscos de falências empresariais “permanecem consideráveis” nos Estados Unidos, mesmo com a economia emergindo da pandemia de coronavírus, disse o Federal Reserve hoje (19) em seu relatório semestral de política monetária ao Congresso.

O endividamento das empresas “agora está perto de máximas históricas”, disse o banco central dos EUA no relatório. Mesmo que grandes saldos de caixa, juros baixos e crescimento econômico renovado possam atenuar os problemas no curto prazo, “os riscos de insolvência em empresas de pequeno e médio porte, bem como em empresas maiores, permanecem consideráveis”.

Embora os balanços dos bancos e das famílias permaneçam em situação razoável, o comentário sobre a dívida das empresas destaca a possibilidade de que a recuperação pós-pandemia possa ser prejudicada à medida que as empresas tentam lidar com o excesso de empréstimos para tentar superar um ano historicamente difícil.

O chair do Fed, Jerome Powell, apresentará o relatório em audiências perante o Comitê Bancário do Senado dos EUA na terça e ao Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Deputados na quarta. Ele responderá a perguntas de parlamentares após apresentar seu próprio resumo de como está a economia.

Será a primeira aparição de Powell no Capitólio desde que os democratas conquistaram a Casa Branca e o controle de ambas as câmaras do Congresso. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).