Venda do TikTok para Oracle e Walmart é paralisada enquanto governo Biden analisa caso

O governo do ex-presidente Donald Trump também citou preocupações com a segurança nacional ao agir contra o TikTok.

Redação
Compartilhe esta publicação:
AaronP/Bauer-Griffin
AaronP/Bauer-Griffin

O governo do ex-presidente Donald Trump também citou preocupações com a segurança nacional ao agir contra o TikTok

Acessibilidade


O plano da Oracle e do Walmart de comprar as operações do TikTok nos Estados Unidos foi adiado indefinidamente, com o presidente Joe Biden analisando os esforços do governo anterior para lidar com os riscos de segurança potenciais apresentados por empresas chinesas de tecnologia, informou o Wall Street Journal hoje (10).

O governo do ex-presidente Donald Trump citou preocupações com a segurança nacional ao agir contra o TikTok, argumentando que dados pessoais dos usuários dos EUA poderiam ser obtidos pelo governo da China, enquanto o TikTok nega a alegação. Isso ocorre quando a proprietária do TikTok, a ByteDance, vive uma disputa judicial com o governo dos EUA, com muitos tribunais federais impedindo a tentativa do Departamento de Comércio de encerrar as operações do TikTok no país.

As discussões continuaram entre representantes da ByteDance e oficiais de segurança nacional dos EUA, disse a reportagem do WSJ, citando pessoas familiarizadas com o assunto.

O TikTok está em negociações com o Walmart e a Oracle desde setembro para finalizar um acordo que colocaria os ativos da TikTok nos Estados Unidos sob o controle de uma nova entidade para evitar sua proibição total no país.

TikTok, Oracle e Walmart não responderam imediatamente aos pedidos de comentários da Reuters. (Com Reuters)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: