Eletrobras vai gerar fluxo de até R$ 2,5 bi/ano para reduzir tarifa, diz governo

A medida provisória de desestatização terá 120 dias para análise pelo Congresso.

Redação
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/Brendan McDermid
REUTERS/Brendan McDermid

A medida provisória de desestatização terá 120 dias para análise pelo Congresso

Acessibilidade


O projeto do governo para privatização da Eletrobras não vai aumentar tarifas de energia para os consumidores, uma vez que a proposta prevê que a companhia direcione até R$ 2,5 bilhões ao ano para aliviar a alta nas contas de luz, disse um representante do Ministério de Minas e Energia hoje (8).

O governo do presidente Jair Bolsonaro publicou no final de fevereiro uma medida provisória sobre a desestatização, que terá 120 dias para análise pelo Congresso.

“A gente acredita que a MP não vai gerar aumento tarifário”, disse o chefe da assessoria econômica da pasta de Minas e Energia, Hailton Madureira, em debate sobre a privatização transmitido online pela TV Câmara.

Ele explicou que o modelo previsto para a desestatização envolve obrigação de a Eletrobras direcionar posteriormente “entre 2 bilhões e R$ 2,5 bilhões” por ano em recursos para abater encargos que oneram as contas de luz dos consumidores. (Com Reuters)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: