Fed vê inflação acima da meta em 2021, mas mantém patamar dos juros

O banco central norte-americano projetou um rápido salto no crescimento econômico do país em 2021.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Reuters
Reprodução/Reuters

O Federal Reserve projetou um salto no crescimento econômico do país e prometeu manter sua meta de juros próxima de zero nos próximos anos

Acessibilidade


O Federal Reserve projetou nesta quarta (17) um rápido salto no crescimento econômico dos Estados Unidos em 2021 e repetiu a promessa de manter sua meta de juros próxima de zero nos próximos anos.

O banco central norte-americano agora vê a economia crescendo 6,5% em 2021, com a taxa de desemprego caindo para 4,5% até o final do ano. Em dezembro, o crescimento projetado era de 4,5% e o desemprego de 5%. O ritmo da inflação deve agora superar a meta de 2% do Fed para o ano, atingindo 2,4%.

LEIA MAIS: Fed divulga novas projeções apostando que inflação ficará contida

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) disse em um comunicado que os “indicadores de atividade econômica e emprego subiram”, mantendo a taxa de juros de referência em uma faixa de zero a 0,25%.

A melhora no cenário econômico do Fed não alterou de forma imediata as expectativas das autoridades em relação aos juros. Sete de 18 autoridades agora esperam alta em 2023, contra apenas cinco em dezembro. Além disso, quatro deles ainda acham que pode ser necessário aumentar os juros já no próximo ano.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O chair do Fed, Jerome Powell, fará uma entrevista coletiva às 15h30 para discutir o resultado da última reunião de política monetária.

As projeções trimestrais divulgadas hoje foram as primeiras do banco central norte-americano desde dezembro. Os dados incorporam desdobramentos como a distribuição de vacinas contra o coronavírus e a aprovação de dois pacotes de gastos federais nos EUA, totalizando cerca de U$ 2,8 trilhões. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: