Forbes Radar: Cyrela, Hapvida, Light, C&A e outros destaques corporativos

Últimas notícias sobre: Cury Construtora, Telefônica Brasil, 3R Petroleum, Petrobras, Banco do Brasil, Biosev, Caixa Econômica, Even, Taurus, Grupo Soma e Copel.

Artur Nicoceli
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Forbes Radar de hoje (19) apresenta os resultados trimestrais das companhias brasileiras de capital aberto. A Cyrela registrou crescimento de 323% no lucro líquido anual, em R$ 1,76 bilhão. A Light também fechou 2020 com lucro líquido anual de R$ 493 milhões, alta de 177,8% em relação a 2019.

A Hapvida teve uma queda de 55,2% no lucro líquido do quarto trimestre, fechando o período com R$ 94,3 milhões. Em 2020, o resultado líquido foi R$ 785,3 milhões

Veja estes e outros destaques corporativos desta sexta-feira:

Cyrela (CYRE3)

Em 2020, o lucro líquido da Cyrela cresceu 323%, para R$ 1,76 bilhão. A companhia justificou esse crescimento devido a redução de 29% nos Juros de Empréstimos Nacionais e Estrangeiros, além da venda dos lotes de ações suplementares das ex-controladas Lavvi e Plano&Plano, e de “equivalência patrimonial” referente à participação da Cyrela no resultado da Cury.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Já a receita líquida da companhia caiu 14,3% no último trimestre, para R$ 1,06 bilhão. A receita anual também caiu 2,7%, para R$ 3,82 bilhões.

As vendas no trimestre foram de R$ 1,8 milhões, 34% superior ao quarto trimestre de 2019. Em 2020, as vendas ficaram em R$ 4,9 milhões, 7% maior que no ano anterior.

Hapvida (HAPV3)

A Hapvida teve lucro líquido de R$ 94,3 milhões no quarto semestre de 2020, em queda de 55,2% em relação ao lucro líquido de R$ 210,6 milhões no último trimestre de 2019. O lucro líquido de 2020 ficou em R$ 785,3 milhões, uma queda de 7,8%, em relação a 2019 (R$ 851 milhões).

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) trimestral ficou em R$ 431 milhões, um crescimento de 15,2% em relação ao mesmo período de 2019, de R$ 374 milhões. Já o Ebitda anual saiu de R$ 1,23 bilhão em 2019 para R$ 2 bilhões em 2020, um crescimento de 63,8%.

Cury Construtora (CURY3)

A Cury Construtora e Incorporadora, uma das construtoras líder no segmento de baixa renda no Brasil, divulgou hoje lucro líquido de R$ 68 milhões no quarto trimestre de 2020, um aumento de 35% em relação ao mesmo período do ano passado. No fechamento do ano, a companhia registrou lucro líquido de R$ 160,8 milhões, estável em comparação ao encerramento de 2019.

A receita líquida foi de R$ 345,3 milhões no quarto trimestre e de R$ 1,1 bilhão no acumulado de 2020, evolução de 14,5% e 12,3%, respectivamente. Os lançamentos atingiram R$ 1,54 bilhão no último ano, 34,2% superior ao R$ 1,1 bilhão de 2019 e 78% acima do quarto trimestre de 2019.

A companhia também reportou em 2020 recordes históricos de lançamentos, que superaram R$ 1,5 bilhão, e de vendas líquidas, que atingiram R$ 1,3 bilhão (37% superior ao resultado de 2019 e alta de 22,8% em relação ao mesmo período do ano passado, com R$ 404,6 milhões no quarto trimestre de 2020), além de VSO (Vendas Sobre Oferta) líquida de 35,1% no quarto trimestre de 2020, e 64,3% em 2020, a maior VSO do segmento.

Light (LIGT3)

O lucro líquido ficou em R$ 235 milhões no último trimestre de 2020. Já o lucro líquido anual da companhia ficou em R$ 493 milhões, ante R$ 178 milhões em 2019, um crescimento de 177,8%.

O Ebitda do último trimestre de 2020 ficou em R$ 974 milhões, crescimento de 110% em relação ao quarto trimestre de 2019 (R$ 464 milhões). Já o Ebitda anual foi de R$ 1,6 bilhão em 2019 para R$ 2,1 bilhão no ano passado, evolução de 28,3%.

O Capex da companhia saiu de R$ 292 milhões no quarto trimestre de 2019 para R$ 308 milhões no quarto trimestre de 2020, uma alta de 9,2%. O Capex de 2020 fechou em R$ 949 milhões, o que em 2019 era de R$ 885 milhões, acréscimo de 7,2%.

Telefônica Brasil (VIVT3)

O conselho de administração da Telefônica Brasil aprovou o montante bruto de R$ 270 milhões ou líquido (após impostos) de R$ 229,500 milhões para pagamentos de Juros sobre Capital Próprio (JCP). O valor líquido por ação é de R$ 0,13608. O pagamento será realizado até 31 de julho de 2022.

3R PETROLEUM (RRRP3
)

A 3R PETROLEUM informou ao mercado que se prepara para mais uma oferta de ações (follow-on) que pode levantar R$ 972 milhões, menos de três meses após a companhia ter estreado na Bolsa.

De acordo com a companhia serão ofertadas 16 milhões de novas ações ordinárias, com a possibilidade de acréscimo de até 35% em novos papéis.

Petrobras (PETR4)

A Petrobras informou que recebeu indicação do candidato Pedro Rodrigues Galvão de Medeiros para o conselho de administração da companhia, cuja eleição ocorrerá na assembleia em 12 de abril de 2021, caso adotado o procedimento de voto múltiplo.

A indicação ocorre em meio a uma mudança na cúpula da empresa, com a anunciada troca do presidente-executivo Roberto Castello Branco. A União já indicou outros oito conselheiros para as vagas no conselho, enquanto minoritários haviam feito outra indicação.

Medeiros, outro candidato dos acionistas minoritários, foi indicado pelas gestoras Absolute Gestão de Investimentos, AZ Quest Investimentos, Kapitalo Investimentos, Moat Capital, Navi Capital, Oceana Investimentos e Solana Gestora de Recursos.

C&A (CEAB3)

A C&A informou lucro líquido no quarto trimestre de R$ 109 milhões, uma queda de 37,8% em relação ao último trimestre de 2019, quando o resultado foi de R$ 175 milhões.

A receita líquida operacional saiu de R$ 1,742 bilhão em 2019 para 1,747 bilhão, um crescimento de apenas 0,3%. Já o Ebitda ajustado fechou o quarto trimestre de 2020 em R$ 257 milhões, contra R$ 373 milhões em 2019. A margem caiu 6,7 p.p.

Grupo Soma (SOMA3)

O lucro líquido do quarto trimestre de 2020 do Grupo Soma registrou crescimento de 3,1%, saindo de R$ 38 milhões em 2019 para R$ 39 milhões no ano passado. Já o resultado líquido anual caiu 155% de R$ 126 milhões em lucro em 2019, para prejuízo de R$ 69 milhões em 2020.

O Ebitda do Grupo Soma ficou em 67,9 milhões no último trimestre de 2020, o que era R$ 62,2 milhões no mesmo período de 2019, um crescimento de 9,2%. Já o Ebitda anual caiu para R$ 10,1 milhões em 2020.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Even (EVEN3)

A Even fechou o quarto trimestre com prejuízo de R$ 89 milhões, ante o lucro líquido de R$ 30 milhões no final de 2019. Já o Ebitda trimestral saiu de R$ 39 milhões no quarto trimestre de 2019 e foi para R$ 133 milhões no último trimestre de 2020.

A receita de vendas e serviços da companhia ficou em R$ 455 milhões no último trimestre de 2020, contra R$ 479 milhões no quarto trimestre de 2019.

O ROE da companhia saiu de 7,3% positivo para 20,9% negativo na comparação do último trimestre entre 2019 e 2020, respectivamente.

Banco do Brasil (BBAS3)

O Banco do Brasil informou ontem (18) que André Brandão entregou pedido de renúncia ao cargo de presidente-executivo da instituição, com efeito a partir de 1 de abril.

O governo federal anunciou a indicação de Fausto de Andrade Ribeiro para ser o próximo presidente-executivo do Banco. Ele é desde o ano passado presidente da BB Administradora de Consórcios e trabalha no BB desde 1988.

Biosev (BSEV3)

O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) deu a aprovação final para a venda das usinas da Biosev à Raízen.

O negócio da Biosev com a Raízen, uma joint venture da Cosan e da Shell, já havia sido aprovado sem restrições pelo órgão brasileiro de defesa da concorrência no início deste mês.

“(Agora) a aprovação sem restrições tornou-se final e definitiva após o decurso do prazo de 15 dias contado da publicação da referida decisão no Diário Oficial da União, em 02 de março de 2021, nos termos da legislação aplicável”, afirmou a Biosev.

A Raízen destacou, porém, que a consumação da transação permanece sujeita ao cumprimento de outras condições precedentes, incluindo a conclusão da reorganização societária e a reestruturação do endividamento financeiro da Biosev.

A operação, anunciada em fevereiro, envolve o pagamento de R$ 3,6 bilhões e ações. Com a aquisição, a Raízen passará a contar com um total de 35 unidades produtoras, totalizando uma capacidade instalada de 105 milhões de toneladas de cana.

Caixa Econômica

A Caixa Econômica Federal pretende listar as ações de seu banco digital, o Caixa Tem, em uma Bolsa de Valores no exterior entre o final deste ano e o começo de 2022, disse ontem (18) o presidente-executivo do banco estatal, Pedro Guimarães.

“Estamos apenas esperando a aprovação do Banco Central”, disse Guimarães a jornalistas durante apresentação sobre os resultados da Caixa Econômica referentes ao quarto trimestre.

Canal criado pelo banco para realizar os pagamentos do auxílio emergencial do governo federal no ano passado, o Caixa Tem atingiu 107 milhões de usuários, segundo a apresentação feita ontem. Antes disso, o banco já tinha duas operações de mercado de capitais em andamento, com a venda de ações que detém no Banco Pan e a listagem de sua unidade de seguros Caixa Seguridade, ambas em análise na CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

“Há interesse enorme do mercado em conhecer a Caixa Seguridade”, disse Guimarães em relação ao IPO. A empresa ainda pretende listar na B3 no segundo semestre deste ano outro braço de negócios, o de gestão de recursos de terceiros.

A Caixa pretende usar parte dos recursos com a venda dessas participações para retomar pagamentos ao governo federal de empréstimos tomados na última década sob a forma de IHCD (Instrumentos Híbridos de Capital), disse Guimarães.

Copel (CPLE6)

A Copel tem se preparado para inscrever a usina a gás de Araucária em licitações que o governo fará neste ano para contratar a produção de projetos térmicos, enquanto também prevê manter por prazo extra o controle de sua principal hidrelétrica, Foz do Areia, disse o presidente da empresa ontem.

Parceria com a Petrobras, que tem cerca de 20% no ativo, a térmica de Araucária está atualmente sem contratos para a venda de energia. Mesmo assim, deu boa contribuição para os resultados da Copel em 2020, que atingiram lucro recorde de R$ 3,9 bilhões.

“Agora estamos nos preparando para ir aos leilões”, disse o CEO, Daniel Slaviero, durante teleconferência de resultados, ao comentar sobre Araucária.

Segundo o executivo, uma dessas oportunidades será um certame em formato inédito que o governo prevê para o segundo semestre, voltado à contratação de usinas de geração que funcionariam como uma reserva de capacidade para garantir a segurança do sistema.

Slaviero também disse que a Copel espera assegurar a prorrogação por cerca de um ano da concessão de sua principal usina, Foz do Areia, com 1,6 gigawatt em capacidade, após um acordo com o governo e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) sobre o risco hidrológico no setor elétrico.

A Copel tem concessão para explorar a usina até setembro de 2023. Pela legislação atual, ela pode renovar o contrato por 30 anos se vender o controle do empreendimento a um agente privado, opção hoje vista como preferencial na Copel.

Caso não privatize o ativo, a estatal teria que disputar a renovação da concessão em leilão.

Slaviero disse que a Copel previa avançar com negociações para a venda do controle da usina ainda em 2021, mas esse prazo deverá escorregar devido à extensão de contrato decorrente do acordo sobre o risco hidrológico.

(Com Reuters)

  • Eletrobras (ELET3) – 19 de março

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: