Forbes Radar: Sendas Distribuidora, Cosan, Cielo e outros destaques corporativos

O Forbes Radar de hoje (29) apresenta os resultados trimestrais da Triunfo que teve o lucro líquido de R$ 256,1 milhões no quarto trimestre, uma alta de 710,3% ante 2019, da Cemig que fechou o último trimestre com R$ 1,33 bilhão, um salto de 136% na comparação ano a ano e entre outubro e dezembro, a Oi registrou o prejuízo líquido de R$ 1,6 bilhão.

Veja estes e outros destaques corporativos do dia:

Oi (OIBR4)

A Oi registrou um prejuízo líquido de R$ 1,6 bilhão no quarto trimestre de 2020, uma queda ante o R$ 2,5 bilhões do mesmo período de 2019. Na comparação anual, o prejuízo líquido aumentou, saindo de R$ 9 bilhões em 2019 para R$ 14 bilhões em 2020.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) do último trimestre do ano passado fechou em R$ 1,6 bilhão, o que no ano anterior era de R$ 1,2 bilhão. O Ebitda anual ficou em R$ 6,4 bilhões em 2020, um crescimento ante os R$ 3,8 bilhões em 2019.

A receita líquida no quarto trimestre de 2020 alcançou R$ 4,77 bilhões, uma queda de 2,8% sobre o último trimestre de 2019. No ano inteiro, a receita da companhia foi de R$ 18,7 bilhões, queda de 6,8% na comparação anual.

A dívida líquida do quarto trimestre ficou em R$ 21,7 bilhões, uma alta de 36,9% sobre o mesmo trimestre de 2019. A dívida líquida anual foi de R$ 81,2 bilhões, uma alta de 52,3% na comparação anual.

Cemig (CMIG4)

A Cemig registrou lucro líquido de R$ 1,33 bilhão no último trimestre de 2020, salto de 136% na comparação ano a ano. A alta é resultado de uma revisão tarifária de ativos e a reversão das perdas associadas à desvalorização de ações da Light, segundo balanço divulgado na última sexta-feira (26).

Em 7 de janeiro, a Cemig havia informado a alienação total dos ativos da Light.

O Ebitda alcançou R$ 1,65 bilhão no quarto trimestre, alta de 79% ante o mesmo período de 2019.

Já em 2020, o lucro líquido ficou em R$ 2,8 bilhões, uma queda de 10,3%, ante o resultado de 2019 de R$ 3,1 bilhões.

A estatal mineira também informou o início do processo de avaliação para a venda de sua participação na transmissora de energia elétrica Taesa, onde é uma das acionistas controladoras. A Cemig possui 21,7% das ações e controla a companhia junto a ISA Brasil

A Cemig informou que o processo se encontra em fase de identificação e avaliação pela diretoria da companhia. O modelo e a estrutura do potencial negócio serão submetidos à apreciação do conselho de administração quando forem finalizadas, acrescentou a elétrica.

Triunfo (TPIS3)

A Triunfo ficou com o lucro líquido de R$ 256,1 milhões no quarto trimestre e com uma alta de 710,3% ante 2019 (R$ 31,6 milhões).

A companhia afirmou que o forte desempenho é resultado da redução do endividamento de R$ 159,9 milhões, amortizações realizadas durante 2020, quitações de uma CBB da Econorte e de credores da Concer, além da ICC Brasil (Corte Internacional de Arbitragem) ter reduzido 37,32% na tarifa de pedágio da Concebra.

O Ebitda ajustado ficou em R$ 116,2 milhões no último trimestre de 2020, queda de 6,7% ante R$ 124,4 milhões do quarto trimestre 2019.

Sendas distribuidora (ASAI3)

A Sendas Distribuidora informou que o conselho de administração elegeu Gabrielle Helú como diretora de RI, e Christophe José Hidalgo, membro do conselho da companhia, como novo membro do comitê de auditoria estatutário da empresa.

Cosan (CSAN3)

O conselho de administração da Cosan aprovou um novo plano de recompra de ações ordinárias com o prazo de operação de até 18 meses. Serão distribuídos:

  • 288 milhões de ativos para circulação
  • 11 milhões de papéis para ficarem mantidos em tesouraria

O máximo de ações possíveis para a compra é de 17 milhões (cerca de 3,63% da quantidade total de ativos e 5,89% dos papéis em circulação). A precificação ainda não foi decidida.

Eletrobras (ELET6)

A Eletrobras informou que Ricardo Brandão Silva, conselheiro de administração da companhia, apresentou uma carta de renúncia e deixará o cargo a partir de 1º. de abril. Ana Carolina Tannuri Laferté Marinho assumirá o cargo de Brandão. Ela foi eleita na reunião realizada pela companhia na última sexta-feira (26).

Cielo (CIEL3)

Os acionistas da Cielo, Geração Futuro L. Par FIA com Luiz Barsi Filho e Luciano Luiz Barsi ao lado de Michele da Silva Gonsales Torres irão concorrer as vagas de membros titular e suplente, respectivamente, do conselho fiscal da companhia.

Banco do Brasil (BBAS3)

O Banco do Brasil comunicou hoje (29) que o Ministério da Economia encaminhou para análise a indicação de Fausto Ribeiro para presidir a instituição financeira. Em fato relevante, o banco afirmou que a indicação ainda está em avaliação.

Ribeiro, funcionário de carreira no BB desde 1988, será o terceiro presidente do banco em cerca de seis meses. A sugestão ocorre após Brandão ter sucumbindo ao desgaste com o presidente Jair Bolsonaro quando anunciou um plano para o Banco do Brasil que incluía demissões e fechamento de agências.

(Com Reuters)

Calendário de divulgação dos próximos resultados:

  • Bemobi (BMOB3) – 29 de março
  • Lopes Brasil (LPSB3) – 29 de março

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).