Lucro da brMalls despenca no 4º tri a R$ 199,5 milhões com queda em margens

As despesas com vendas, gerais e administrativas subiram a 25,6% da receita, de 17,1% um ano antes.

Redação
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


A brMalls teve lucro líquido de R$ 199,5 milhões no quarto trimestre, menos da metade do montante registrado um ano antes, ainda afetada por medidas de isolamento social. Em termos ajustados, o lucro recuou 63,7%, a R$ 62,3 milhões.

De acordo com dados divulgados na noite de ontem (11), o resultado teve impacto de contração da receita líquida, devido às restrições de funcionamento dos shoppings, aumento de R$ 15,9 milhões em provisões para inadimplência de lojistas (PDD) e perdão de dívida, além de crescimento de despesas financeiras e resultado negativo em equivalência patrimonial.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

A receita líquida caiu 23,8%, a R$ 266,7 milhões, enquanto as despesas com vendas, gerais e administrativas subiram 13,9%, para R$ 68,2 milhões, ou 25,6% da receita, de 17,1% um ano antes.

O receita operacional líquida (NOI) somou R$ 238,9 milhões, queda de 24,8%, enquanto a margem passou para 88,3%, de 88,5% um ano antes. O fluxo de caixa proveniente das operações (FFO) ajustado despencou 58,9%, a R$ 72,6 bilhões, com a margem desabando para 27,2%, de 50,5% no mesmo período de 2019.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Para 2021, a brMalls avalia que a disponibilidade das vacinas será crescente e as discussões mais importantes para a empresa passarão a ser sobre os impactos mais duradouros pós-coronavírus, apesar da recente onda da pandemia que na véspera fez o estado de São Paulo decretar medidas mais severas de restrição até o final de março. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: