Preços do petróleo caem com retomada do tráfego no Canal de Suez

REUTERS/Suez Canal Authority/Handout
REUTERS/Suez Canal Authority/Handout

Preocupações com a demanda por combustíveis na Europa também ajudavam a derrubar as cotações

Os preços do petróleo recuavam hoje (29), depois que um navio porta-contêineres que bloqueou o Canal de Suez por quase uma semana foi desencalhado e permitiu a retomada do tráfego pela via marítima.

Preocupações com a demanda por combustíveis na Europa, que segue fraca em meio a novos “lockdowns” em diversos países que visam conter o avanço da Covid-19, também ajudavam a derrubar as cotações.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O petróleo Brent subia US$ 0,01, ou 0,02%, a US$ 64,58 por barril, às 12h49, horário de Brasília. O petróleo dos Estados Unidos avançava US$ 0,15, ou 0,25%, a US$ 61,12 por barril.

Imagens ao vivo do Canal de Suez, de uma emissora de televisão local, mostravam o navio Ever Given cercado por embarcações rebocadoras e se movimentando lentamente para o centro do canal nesta segunda.

A TV ExtraNews disse que o navio se movimentava a uma velocidade de 1,5 nós.

“O mercado vai logo se dar conta de que, apesar das notícias positivas, alguns efeitos em cascata são esperados mesmo que o Ever Given deixe o canal em dias”, disse Louise Dickson, analista de mercados de petróleo.

Os preços do petróleo oscilaram violentamente nos últimos dias, à medida que negociantes e investidores tentavam pesar os impactos do bloqueio em Suez sobre o setor, enquanto buscavam avaliar também efeitos de “lockdowns” contra o coronavírus na Europa. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).