Com ativos na Bahia, mineradora Largo Resources tem aval da Nasdaq para listagem

Brendam McDermid
Brendam McDermid

A companhia opera a mina de Maracás Menchen, na Bahia, onde explora depósitos de vanádio

A mineradora canadense Largo Resources, que possui operações na Bahia e uma unidade voltada a tecnologia de armazenamento de energia, recebeu aprovação para a listagem de suas ações na bolsa norte-americana Nasdaq.

Ações ordinárias da Largo deverão começar a ser negociadas na Nasdaq a partir do pregão de 19 de abril, acrescentou a companhia hoje (16) em comunicado. A mineradora não forneceu mais detalhes sobre a listagem das ações nos EUA.

LEIA MAIS: Bitcoin atinge recorde antes de listagem da Coinbase na Nasdaq

A companhia, que ainda seguirá com ações na bolsa de Toronto, opera a mina de Maracás Menchen, na Bahia, onde explora depósitos de vanádio. Ela tem projeção de produzir entre 12 mil e 12,5 mil toneladas de pentóxido de vanádio neste ano.

A Largo Resources também tem uma unidade que aposta em tecnologias para armazenamento de energia com vanádio (VRFB), a Largo Clean Energy, lançada em 2020 e com sede nos EUA.

A mineradora tem ainda planos de construir uma planta de processamento de trióxido de vanádio em sua unidade na Bahia , o que a permitiria aumentar as vendas para mercados que exigem alta pureza, como o setor aeroespacial e indústria química, além da área de baterias de fluxo, de acordo com informações de seu site.

Segundo a Largo, a combinação de suas reservas de alta pureza de vanádio com os investimentos de sua unidade de armazenamento deixam a companhia posicionada para capturar uma significativa participação na futura demanda por sistemas de armazenamento de energia renovável. (Com Reuters)

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).