Confiança do consumidor no Brasil tem recuperação em abril, mas cautela permanece, diz FGV

Pessimismo entre as famílias brasileiras diminui, mas dificuldades da pandemia estão longe de serem superadas.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters

Ladeira Porto Geral, área popular de compras em São Paulo

Acessibilidade


A confiança do consumidor brasileiro apresentou recuperação em abril em meio à redução do pessimismo sobre os próximos meses, mas o agravamento da pandemia continua pressionando, informou hoje (28) a FGV (Fundação Getulio Vargas).

O ICC (Índice de Confiança do Consumidor) avançou 4,3 pontos em abril, para 72,5 pontos, resultado que representa recuperação de 68,2 pontos no mês anterior.

LEIA MAIS: Covid-19 provoca a maior aceleração da riqueza em toda a história da humanidade

Mas, de acordo com a coordenadora das sondagens, Viviane Seda Bittencourt, essa recuperação precisa ser avaliada com cautela. “A melhora foi influenciada pela diminuição do pessimismo das famílias em relação aos próximos meses mas sem nenhuma percepção de recuperação da situação atual dado o cenário de agravamento da pandemia e dificuldades enfrentadas pelas famílias”, disse ela.

“O comportamento cauteloso dos consumidores vem sendo mantido em relação aos gastos, fato justificado por fatores econômicos como: renda, emprego e aumento dos níveis de endividamento, mas também psicológicos, relacionados à incerteza em relação à saúde e a necessidade de isolamento social”, completou.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

No mês, o Índice de Situação Atual subiu 0,5 ponto, para 64,5 pontos, enquanto o IE (Índice de Expectativas) avançou 6,7 pontos, para 79,2 pontos.

O Brasil possui o segundo maior número de mortes por Covid-19 no mundo, abaixo apenas dos Estados Unidos, além da terceira maior contagem de casos confirmados de coronavírus, atrás dos EUA e da Índia.

Ontem (27), o país registrou 3.086 novos óbitos em decorrência da Covid, o que eleva o total de vítimas fatais da doença a 395.022. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: