Economia dos EUA acelera 6,4% no 1º trimestre

Neste ritmo, especialistas projetam que a economia norte-americana pode se recuperar totalmente até o final de 2023

Redação
Compartilhe esta publicação:
Thomas White/Reuters
Thomas White/Reuters

PIB dos EUA cresceu no começo de 2021 no segundo ritmo mais forte da história do país, desde o 3º trimestre de 2003

Acessibilidade


O crescimento econômico dos Estados Unidos acelerou no primeiro trimestre, alimentado pela forte ajuda do governo a famílias e empresas, abrindo caminho para o que deve ser o desempenho mais forte este ano em quase quatro décadas.

O PIB (Produto Interno Bruto) cresceu a uma taxa anualizada de 6,4% no trimestre passado, informou hoje (29) o Departamento do Comércio. Foi o segundo ritmo mais forte desde o terceiro trimestre de 2003, depois de uma taxa de 4,3% no quarto trimestre.

LEIA MAIS: Atividade industrial dos EUA acelera no início de abril, mostra PMI

Economistas consultados pela Reuters projetavam alta do PIB de 6,1% no período de janeiro a março.

A economia dos Estados Unidos está se recuperando mais rapidamente em comparação com seus rivais globais, graças a duas rodadas adicionais de dinheiro de ajuda pela Covid-19 pelo governo, além do alívio da ansiedade em torno da pandemia, o que impulsionou a demanda doméstica e permitiu que fornecedores de serviços reabrissem.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Ainda assim, a economia permanece ao menos dois anos distante da recuperação total da recessão pela pandemia, que começou em fevereiro de 2020.

Relatório separado do Departamento do Trabalho de hoje (29) mostrou que 553 mil pessoas entraram com pedidos de auxílio-desemprego durante a semana encerrada em 24 de abril, contra 566 mil no período anterior.

Embora os pedidos iniciais tenham caído de um recorde de 6,149 milhões no início de abril de 2020, eles permanecem bem acima da faixa de 200 mil a 250 mil considerada consistente com um mercado de trabalho saudável.

A economia continuou a avançar no início do segundo trimestre, com os gastos dos consumidores saltando para máxima de 14 meses em abril, graças ao estímulo fiscal e à expansão do programa de vacinação contra a Covid-19 para todos os norte-americanos adultos.

LEIA MAIS: Auge do crescimento econômico dos EUA pode atrapalhar o mercado de ações, alerta Goldman Sachs

Muitos economistas projetam que a economia vai se recuperar totalmente da recessão no final de 2023. Eles preveem que o crescimento este ano pode superar 7%, o que seria o ritmo mais forte desde 1984. A economia contraiu 3,5% em 2020, pior desempenho em 74 anos. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: