Empresa de código-fonte aberto Suse vai entrar na bolsa de Frankfurt

A companhia busca capital para investir em aquisições e expansão orgânica e emitirá US$ 500 milhões em novas ações para pagar dívidas.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Bruno Domingos/Reuters
Bruno Domingos/Reuters

A Suse fornece soluções corporativas usando software de código aberto, permitindo que empresas executem aplicativos em configurações híbridas

Acessibilidade


A Suse, empresa de software empresarial de códigofonte aberto com base alemã, anunciou hoje (26) sua intenção de listar ações na Bolsa de Valores de Frankfurt, à medida que busca capital para investir em aquisições e expansão orgânica.

A companhia emitirá US$ 500 milhões em novas ações para pagar dívidas, enquanto o fundo de investimento sueco EQT, que adquiriu a Suse em 2018 por US$ 2,5 bilhões, venderá um número não especificado de ações.

LEIA TAMBÉM: Empresa de software bancário Alkami é avaliada em US$ 3,4 bilhões em estreia na bolsa

“Esse IPO (Oferta Pública Inicial) planejado nos dará flexibilidade estratégica e financeira para garantir nossa independência a longo prazo”, disse a presidente, Melissa di Donato, em comunicado.

Di Donato, um raro exemplo de presidente mulher na indústria de tecnologia, é uma defensora pessoal do encorajamento de mulheres para liderança. Ela escreveu livros para meninas com títulos pitorescos como ‘Como as sereias fazem cocô?’.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Fundada em 1992, a Suse fornece soluções corporativas usando software de código aberto como Linux, permitindo que empresas executem aplicativos em configurações híbridas que variam de data centers em nuvem a dispositivos na ponta das redes.

Di Donato disse aos repórteres que estaria atenta a futuras aquisições em potencial, já que tem como meta superar a previsão da empresa de 17% de crescimento anual da receita  em seus mercados acessíveis entre 2020 e 2024.

A Suse reportou receita anual ajustada de US$ 503 milhões até 31 de outubro do ano passado, um crescimento de 17%, com margem de lucro bruta de 94%. O crescimento da receita continuou no mesmo ritmo no trimestre encerrado em 31 de janeiro, disse a empresa.

A companhia quer reduzir seu índice de alavancagem – ou dívida líquida em relação ao lucro básico – em 3,25 vezes. Ela não forneceu um valor para a sua atual taxa de alavancagem.

Não está claro o tamanho da participação que a EQT venderá, mas uma fonte familiarizada com o assunto disse que o IPO pode resultar em uma avaliação geral entre € 5 e 8 bilhões. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: