Huawei tem queda de receita no trimestre após venda de unidade de smartphones Honor

Segundo o presidente do conselho de administração da companhia, 2021 será o ano em que a estratégia de desenvolvimento da empresa começará a tomar forma.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Michele Tantussi/Reuters
Michele Tantussi/Reuters

A Huawei tem investido pesado em negócios que são menos dependentes de tecnologia de semicondutores dos EUA como direção autônoma e computação em nuvem

Acessibilidade


A Huawei teve queda de 16,5% na receita do primeiro trimestre de 2021 em relação ao mesmo período do ano anterior, atingida pela venda da unidade de smartphones Honor de baixo custo em novembro.

O faturamento somou 152,2 bilhões de iuans (US$ 23,46 bilhões) no primeiro trimestre. Mas a margem de lucro líquido subiu 3,8 pontos percentuais, para 11,1%, apoiada em cortes de custos e recebimento de US$ 600 milhões em pagamentos de royalties.

LEIA TAMBÉM: Anatel aprova regras do leilão de 5G, sem banir Huawei

“O ano de 2021 será desafiador para nós, mas também será o ano em que nossa estratégia de desenvolvimento começará a tomar forma”, disse o presidente rotativo do conselho de administração da Huawei, Eric Xu.

A companhia foi colocada em uma lista proibida de exportações pelo governo de Donald Trump em 2019, e impedida de acessar tecnologia importante que tenha sido produzida nos Estados Unidos. O bloqueio afetou a capacidade da companhia de projetar seus próprios chips e de comprar componentes de fornecedores.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A companhia tem investido pesado em negócios que são menos dependentes de tecnologia de semicondutores dos EUA como direção autônoma e computação em nuvem, disse Xu neste mês. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: