Ibovespa fecha acima dos 118 mil pontos com alívio nos juros e apoio do e-commerce

O Ibovespa terminou o pregão de hoje (8) em alta de 0,59%, pela primeira vez desde fevereiro acima dos 118 mil pontos, impulsionado por uma disparada em ações de empresas como Embraer (EMBR3) e Magalu (MGLU3), que subiram 8,8% e 8,2%, respectivamente, na esteira do retorno dos investidores estrangeiros às compras em mercados emergentes.

O alívio sentido na curva de juros também deu fôlego ao índice brasileiro na sessão, favorecendo a recuperação de papéis atrelados à economia doméstica. O mercado digeriu hoje as notícias sobre um jantar realizado ontem em São Paulo entre o presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e empresários. No encontro, Bolsonaro reforçou compromissos com o teto de gastos e com a responsabilidade fiscal. Guedes, por sua vez, afirmou na saída do evento que a economia brasileira está se reerguendo, mas ressaltou ser preciso avançar na vacinação em massa para sustentar o crescimento do país.

Os investidores seguem observando ainda as negociações para o Orçamento deste ano. Hoje, o secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, afirmou que, para o Ministério da Economia, o veto ao texto é a solução mais adequada à Lei Orçamentária de 2021, aprovada pelo Congresso Nacional há duas semanas com uma subestimativa das despesas obrigatórias do governo.

“Estamos analisando essa conta para ver se a recomposição precisa ir para os R$ 29 bilhões ou para além. Se for para 29 ou para além deles, precisaria ser total (veto), porque é difícil encontrar alguma outra justificativa que não seja essa”, disse Funchal.

Em Wall Street, o S&P 500 registrou novas máximas no fechamento de hoje, impulsionado pelo desempenho positivo das ações de tecnologia na sessão. O avanço nas techs foi amparado pela estabilidade nos títulos públicos. O rendimento do Treasury com vencimento em 10 anos, benchmark da renda fixa norte-americana, recuava para 1,634% no fim da tarde de hoje.

Para o chefe de renda variável da Acqua Investimentos, Raphael Pira, as bolsas norte-americanas continuam respondendo à grande injeção de estímulos monetários na economia, o que acaba influenciando positivamente também o pregão brasileiro.

O chair do Federal Reserve, Jerome Powell, sinalizou hoje que o banco central dos Estados Unidos não está nem perto de reduzir o apoio à economia e disse que um aumento esperado nos preços neste ano provavelmente será temporário. Dados divulgados na manhã de hoje revelaram crescimento no número de novos pedido de auxílio desemprego nos EUA, para 744 mil solicitações na semana encerrada em 3 de abril.

O índice Dow Jones terminou o dia em alta de 0,17% aos 33.503 pontos, o S&P 500 ganhou 0,42% aos 4.097 pontos e o Nasdaq avançou 1,03% aos 13.829 pontos na sessão.

O dólar reverteu os ganhos de ontem ao fechou em queda de 1,20% nesta quinta-feira, negociado a R$ 5,57 na venda, com o real na dianteira dos mercados globais de câmbio numa sessão marcada por otimismo sobre a recuperação econômica global, o que impulsionou a demanda por ativos de risco, como moedas emergentes.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).