Ibovespa sobe com resultados corporativos e apetite por riscos global

O dólar renova o movimento de queda contra o real nesta quinta-feira, perdendo 0,24% e negociado a R$ 5,34 na venda

Ana Paula Pereira
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa opera em alta na abertura dos negócios desta quinta-feira (29), ganhando 0,26% aos 121.370 pontos, em dia de otimismo no exterior amparado por resultados corporativos e dados da economia norte-americana acima das expectativas do mercado.

O PIB (Produto Interno Bruto) dos EUA cresceu a uma taxa anualizada de 6,4% no primeiro trimestre de 2021, informou o Departamento do Comércio hoje, o segundo ritmo mais forte desde 2003. O crescimento foi alimentado pelos estímulos econômicos a famílias e empresas, abrindo caminho para o que deve ser o desempenho anual mais forte em quase quatro décadas.

Ainda nos EUA, relatório do Departamento do Trabalho divulgado nesta manhã mostra que 553 mil pessoas entraram com pedidos de auxílio-desemprego durante a semana encerrada em 24 de abril, um recuo na comparação com as 566 mil solicitações realizadas no período anterior. Os dados impulsionavam os índices futuros de ações em Wall Street nesta manhã, com destaque para avanço de 1,13% para o mini Nasdaq no pré-mercado.

O apetite por riscos no dia é alimentado ainda pela divulgação da segunda etapa do pacote econômico do presidente Joe Biden, de US$ 1,8 trilhão, que soma-se ao já anunciado plano de infraestrutura de US$ 2 trilhões. As medidas propostas, no entanto, são acompanhadas de mudanças nas alíquotas de tributos no país, em especial para empresas e mais ricos, e devem enfrentar resistência entre republicanos e democratas.

No contexto doméstico, os balanços corporativos do primeiro trimestre concentram os holofotes. A CSN teve lucro líquido de cerca de R$ 5,7 bilhões no primeiro trimestre, revertendo desempenho negativo de R$ 1,3 bilhão apurado um ano antes em meio à combinação de ganho de recursos com o IPO de sua unidade de mineração e melhor desempenho operacional, que tem sido guiado por melhora na demanda de aço no Brasil.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Nos indicadores, o IGP-M (Índice Geral de Preços-Mercado) registrou alta de 1,51% em abril, informou a FGV (Fundação Getulio Vargas) nesta manhã. Com o resultado, o índice acumula em 12 meses alta de 32,02%. Já a confiança da indústria no Brasil recuou pelo quarto mês seguido em abril e chegou ao nível mais baixo em oito meses em meio a uma série de incertezas domésticas. O ICI (Índice de Confiança da Indústria) caiu 0,7 ponto no mês e foi a 103,5 pontos, nível mais baixo desde agosto de 2020 (98,7 pontos).

O dólar renova o movimento de queda contra o real nesta quinta-feira, depois de recuar com força no último pregão na esteira da promessa do Federal Reserve de manter sua política monetária flexível. Às 10h15, horário de Brasília, a moeda norte-americana era negociada em queda de 0,24% a R$ 5,34 na venda. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: