Investimento estrangeiro direto atinge menor nível em 15 anos e China ultrapassa EUA, revela OCDE

Dado Ruvic/Reuters
Dado Ruvic/Reuters

Economia chinesa foi o principal destino de aplicações internacionais em 2020, mostra OCDE

O IED (investimento estrangeiro direto) caiu para o seu menor nível em 15 anos no ano passado e a China, uma das poucas grandes economias a alcançar crescimento, ultrapassou os Estados Unidos como principal destino de investimento estrangeiro, mostraram dados da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) hoje (30).

À medida que o coronavírus causava estragos na economia mundial, os fluxos globais de IED caíram 38% em 2020, para US$ 846 bilhões, o nível mais baixo desde 2005, de acordo com a OCDE com sede em Paris.

LEIA MAIS: Crescimento da atividade industrial da China desacelera, mostra PMI oficial

Isso representa apenas 1% do PIB (Produto Interno Bruto) global, nível não visto desde 1999.

Uma recuperação nas atividades de fusões e aquisições transfronteiriças no final de 2020 até agora, neste ano, pode alimentar uma recuperação do IED em 2021, disse a OCDE.

A China ultrapassou os Estados Unidos no ano passado como principal destino de investimento estrangeiro, enquanto grandes regiões do país eram fechadas devido à pandemia.

Índia e Luxemburgo, onde muitas empresas-fantasmas estão legalmente registradas, seguem como os principais destinos de entrada, informou a OCDE. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).