Santander Brasil tem lucro de R$ 4 bilhões e bate estimativas de analistas

O Santander Brasil superou as estimativas dos analistas para o lucro trimestral, com menores provisões para perdas com empréstimos ante igual período do ano anterior, mas mostrou alguns sinais de deterioração da qualidade dos ativos.

O lucro líquido recorrente do primeiro trimestre, que exclui itens extraordinários, foi de R$ 4,01 bilhões, 9,2% acima da estimativa dos analistas compilada pela Refinitiv, de R$ 3,673 bilhões, e 4,1% superior ao registrado um ano antes.

LEIA MAIS: EXCLUSIVO: Warren recebe aporte de R$ 300 milhões e mira aquisições

O Santander reservou R$ 3,16 bilhões em provisões para créditos de liquidação duvidosa, queda de 7,7% em relação ao ano anterior. Ainda assim, o volume subiu 9,7% na base sequencial. O índice de inadimplência em 90 dias do banco permaneceu estável em 2,1%, enquanto o indicador de prazo mais curto avançou rapidamente a partir de dezembro.

Sua carteira de crédito expandida caiu 2,9% em relação a dezembro, principalmente por conta de empréstimos concedidos via títulos de renda fixa, mas cresceu 7,4% em um ano. A receita líquida de juros cresceu num ritmo um pouco mais lento, de 6,1% ante o primeiro trimestre de 2020, para R$ 13,42 bilhões.

O retorno sobre o patrimônio líquido do Santander Brasil foi de 20,9%, estável em relação ao trimestre anterior.

Na Espanha, o lucro líquido do Banco Santander saltou para € 1,61 bilhão, contra € 331 milhões no ano anterior, com provisões mais baixas e lucro recorde nos EUA. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).