Susep encerra fiscalização especial no IRB Brasil; ações disparam na B3

Decisão do conselho diretor foi aprovada ontem (6) por unanimidade e, segundo o IRB, abre caminho para resultados positivos

Artur Nicoceli
Compartilhe esta publicação:
NurPhoto/GettyImages
NurPhoto/GettyImages

Decisão do conselho diretor foi aprovada ontem (6) por unanimidade e, segundo o IRB, abre caminho para resultados positivos

Acessibilidade


A Susep (Superintendência de Seguros Privados) encerrou o processo de fiscalização contra o IRB Brasil após um ano. De acordo com ofício emitido na manhã de hoje (7), a companhia apresentou os ativos exigidos para garantir as provisões técnicas definidas pelo órgão regulador. As ações do ressegurador negociadas na B3 subiam 3,78% às 13h45, horário de Brasília, negociadas a R$ 6,33.

Baseado em demonstrações financeiras recentes da companhia, o IRB apontou que não precisará de acompanhamento particular da Superintendência. No mês de janeiro, o ressegurador registrou lucro líquido de R$ 17,9 milhões, revertendo o prejuízo registrado no mesmo período de 2020 de R$ 132 milhões.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Em 11 de maio de 2020, o IRB foi notificado pela Susep de uma fiscalização especial em razão da empresa não apresentar ativos garantidores de provisões técnicas e consequentemente liquidez regulatória.

Antonio Cassio dos Santos, presidente do conselho de administração do ressegurador, declarou que esse era o último impasse que faltava para que o IRB retornasse a um período de resultados positivos. O CEO do IRB, Wilson Toneto, informou que “o reenquadramento coroa um esforço de recuperação financeira e da credibilidade para a companhia”.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: