Bitcoin cai mais de 10% após Elon Musk suspender compra de Teslas com a criptomoeda

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Anúncio vem um dia depois do bilionário considerar o dogecoin como meio de pagamento por seus veículos

Elon Musk, que se tornou uma força da volatilidade no universo das criptomoedas, disse que a Tesla não irá mais aceitar o bitcoin como pagamento pelas compras de seus veículos elétricos devido à quantidade excessiva de energia baseada em carbono que usa. Os preços do bitcoin despencaram após seus comentários. No Brasil, a moeda digital era negociada com queda de 11,1% a R$ 259 mil no início desta manhã. No exterior, o tombo era de 12,5% para US$ 49 mil. Durante a madrugada, os preços chegaram a US$ 47 mil.

“Estamos preocupados com o rápido aumento do uso de combustíveis fósseis para mineração e transações de bitcoins, especialmente o carvão, que tem as piores emissões de qualquer combustível”, Musk tuitou no início da noite de ontem. “A criptomoeda é uma boa ideia em muitos níveis e acreditamos que ela tem um futuro promissor, mas isso não pode ter um grande custo para o meio ambiente.”

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Embora a Tesla não vá mais aceitar bitcoins como forma de pagamento, o bilionário CEO da empresa disse que também não irá vender participações na criptomoeda e ainda planeja usá-la “para transações assim que a mineração fizer a transição para uma energia mais sustentável”.

A mineração usa “mais eletricidade do que a Argentina”, de acordo com um relatório recente da BBC, porque precisa de grandes quantidades de poder de computação para registrar e verificar continuamente todos os dados do blockchain do bitcoin.

O movimento repentino é curioso, já que o recente investimento de US$ 1,5 bilhão em bitcoin da Tesla desencadeou um aumento no valor da moeda e também ajudou a montadora no primeiro trimestre deste ano com ganho de US$ 101 milhões da venda de 10% de suas participações em bitcoins. Musk também fez vários comentários que impulsionaram e enfraqueceram o dogecoin, uma criptomoeda que foi lançada como uma piada na internet.

A reviravolta no bitcoin veio um dia após Musk perguntar a seus seguidores no Twitter se a Tesla deveria aceitar o “doge”. Dias antes, ele brincou que a criptomoeda era uma “confusão” durante sua aparição no Saturday Night Live.

Musk disse que a empresa está procurando outras criptomoedas que “usam“ menos de 1% da energia/transação do bitcoin”, sem identificar alternativas específicas.

A Tesla divulgou seu investimento em bitcoins em 8 de fevereiro de 2021, dizendo que “pode adquirir e manter ativos digitais de tempos em tempos ou em longo prazo. Além disso, esperamos começar a aceitar o bitcoin como forma de pagamento por nossos produtos em um futuro próximo, sujeito às leis aplicáveis ​​e inicialmente de forma limitada, que podemos ou não liquidar no recebimento.”

Durante a teleconferência de resultados do primeiro trimestre da Tesla, em 26 de abril, o CFO da companhia, Zachary Kirkhorn, disse acreditar que o investimento da empresa “provou ser uma boa decisão” devido à “liquidez presente no mercado de bitcoins”.

“Acreditamos no longo prazo do valor do bitcoin”, disse ele. “Portanto, é nossa intenção manter o que temos a longo prazo e continuar a acumular bitcoins via transações com nossos clientes na compra veículos.”

As ações da Tesla caíram 4,4%, para US$ 589,89 nas negociações da Nasdaq na ontem. No ano, a queda é de 16%.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).