BRF lucra R$ 22,4 milhões no 1º trimestre, abaixo das expectativas do mercado

De janeiro a março, analistas esperavam que a companhia de alimentos lucrasse mais de R$ 112 milhões.

Redação
Compartilhe esta publicação:

A companhia de alimentos BRF reportou lucro líquido de R$ 22,4 milhões no primeiro trimestre de 2021, informou a empresa ontem (12), com desempenho abaixo da projeção de analistas, que esperavam R$ 112,7 milhões.

Acessibilidade


O resultado marcou uma melhora em relação a igual período do ano passado, quando a companhia registrou prejuízo de R$ 38 milhões.

LEIA MAIS: JBS vai de prejuízo a lucro de R$ 2 bilhões no 1º trimestre com operação nos EUA

A BRF disse ter vendido cerca de 1,1 milhão de toneladas de produtos alimentícios no período, cifra estável na comparação anual. A receita líquida, no entanto, avançou 18,4%, para R$ 10,6 bilhões, guiada em parte por uma alta de 20% nos preços.

A maior parte das vendas da BRF ocorreu no Brasil, onde a empresa enfrenta um aumento nos custos com ração, o que comprimiu as margens brutas no último trimestre.

A desaceleração econômica do Brasil também pressionou as vendas de alimentos processados, com a BRF reportando uma queda de 20% nos volumes do segmento em relação ao trimestre anterior.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Internacionalmente, os resultados da BRF foram impulsionados por um crescimento de 9,6%, em comparação anual, nas receitas líquidas no mercado asiático, que totalizaram R$ 1,45 bilhão. Isso ajudou a compensar uma queda de 3,1% nos volumes vendidos naquele mercado, disse a companhia.

Na China, a demanda por produtos da BRF permaneceu aquecida tanto em relação à carne de frango quanto à suína, com crescimento de 9% no volume de vendas. Por outro lado, os mercados asiáticos seguiram deprimidos pelos efeitos da pandemia, acrescentou a BRF.

LEIA MAIS: BRF anuncia investimento de R$ 292 milhões no Paraná

De acordo com o balanço da companhia, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) alcançou R$ 1,234 bilhão no período, perto da expectativa do mercado, que indicava R$ 1,218 bilhão. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: