Com fortuna de US$ 146 bilhões, Elon Musk perde segunda posição em ranking de bilionários da Forbes

Patrimônio do executivo é impactado por desempenho das ações da montadora de veículos elétricos.

Ana Paula Pereira
Compartilhe esta publicação:
GettyImages/ Win McNamee / Equipe
GettyImages/ Win McNamee / Equipe

Papéis da Tesla acompanham performance negativa de ações de crescimento frente ao avanço da inflação nos EUA

Acessibilidade


O fundador e CEO da Tesla, Elon Musk, é agora o terceiro homem mais rico do mundo, com fortuna de US$ 146,7 bilhões, segundo o ranking em tempo real de bilionários da Forbes. Desde ontem (18), a segunda posição é ocupada por Bernard Arnault, CEO da LVMH Moët Hennessy Louis Vuitton, com patrimônio de US$ 179,1 bilhões.

A queda na fortuna de Musk acompanha o desempenho negativo das ações de tecnologia no exterior frente ao avanço da inflação nos Estados Unidos. Na última semana, o Departamento de Trabalho do país informou que os preços ao consumidor saltaram para 4,2% em abril na comparação anual, contra 2,6% de março.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

A escalada na inflação aumenta a expectativa de uma revisão na política monetária expansionista adotada pelo Federal Reserve (Fed) para fazer frente à crise econômica aberta pela pandemia. A ata da última reunião do Fed será conhecida na tarde desta quarta-feira.

Os juros norte-americanos seguem próximos de zero e o banco central dos Estados Unidos tem reiterado o seu compromisso com estímulos à economia, mas uma mudança na postura da autoridade monetária, elevando os juros, impactaria papéis de empresas com altos valuations, como é o caso da Tesla e de outras ações de tecnologia. Nesta manhã, o benchmark de tecnologia, Nasdaq Composite, tinha variação negativa acumulada de 6,05% em 30 dias. Já a ação da Tesla negociada no exterior perdia 22,6% no mesmo período.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O desempenho nos papéis da montadora de veículos elétricos também reflete o anúncio de Musk na última semana de que a companhia deixaria de aceitar o bitcoin como forma de pagamento, citando preocupações ambientais com o processo de mineração da moeda digital. Às 10h32, horário de Brasília, as ações da Tesla recuavam 4,30% a US$ 556,72 em Nova York. No Brasil, o BDR da companhia, negociado sob o ticker TSLA34, tinha queda de 3,72% a R$ 91,31.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: