Demanda forte faz Walmart aumentar previsão de resultados para o ano

O Walmart aumentou hoje (18) previsão de resultados para o ano, incentivado por um aumento do consumo nos Estados Unidos em meio ao programa de auxílio federal à economia. A empresa avaliou que a os cheques do governo vão continuar impulsionando a demanda ao longo do ano, conforme as restrições de circulação diminuem.

As ações da maior varejista do mundo subiam cerca de 2% às 12h10, horário de Brasília, depois que a companhia divulgou forte ritmo nas vendas trimestrais.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O Walmart está sendo impulsionado por uma grande tendência ao comércio eletrônico. Embora se espere que as compras online continuem fortes, as pessoas também estão voltando às lojas físicas, à medida em que a vacinação avança. As visitas às lojas do Walmart em todo os Estados Unidos cresceram 21,7% em abril, segundo a empresa de dados Placer.ai.

Na última sexta, o Walmart começou a permitir que pessoas totalmente vacinadas comprassem sem usar máscaras, tornando-se o primeiro grande varejista a flexibilizar política de máscara obrigatória em suas lojas.

“Nosso otimismo é maior do que no início do ano. Nos EUA, os clientes claramente querem sair e fazer compras”, disse o presidente-executivo, Doug McMillon, em comunicado. “Prevemos uma demanda acumulada contínua ao longo de 2021.”

As vendas nas lojas norte-americanas abertas há pelo menos um ano aumentaram 6%, excluindo combustíveis, no primeiro trimestre encerrado em 30 de abril. Analistas estimavam um crescimento de 0,86%, segundo dados da Refinitiv.

Mesmo assim, McMillon alertou que a segunda metade do ano será mais incerta que o normal.

O lucro operacional aumentou 32,3% para US$ 6,91 bilhões no trimestre e o lucro ajustado foi de US$ 1,69 por ação. A receita total aumentou 2,7%, para US$ 138,31 bilhões.

“Apesar da contínua insegurança macroeconômica global, isso é um reflexo de sua (do Walmart) execução excepcional, que pode continuar a ‘mudar rapidamente’ conforme necessário”, disse o analista de varejo da Moody’s Charlie O’Shea. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).