Elon Musk revela o motivo de apoiar o dogecoin ao invés de outras criptos

O CEO da Tesla pediu a desenvolvedores que enviem ideias de atualizações e melhorias para o dogecoin .

Billy Bambrough
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

O CEO da Tesla pediu a desenvolvedores que enviem ideias de atualizações e melhorias para o dogecoin

Acessibilidade


O bilionário e presidente-executivo da Tesla, Elon Musk, que provocou uma montanha-russa nos preços do bitcoin este ano, segue apoiando uma moeda rival, o dogecoin.

Musk usou sua plataforma preferida, o Twitter, para explicar o porquê apoia a moeda digital: “tem cachorro e meme”, disse a outro usuário da rede social, ajudando na recuperação dos preços da cripto após uma forte liquidação no fim de semana.

“Estou curioso, quais são seus pensamentos sobre ethereum 2.0, cardano, solana, polkadot, IOTA e outras moedas digitais que estão tentando escalar com taxas baixas?”, perguntou Dave Lee, um YouTuber e investidor da Tesla. “O que te faz escolher doge em vez deles?”

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

“(O dogecoin) tem cachorro e meme, já os outros não”, respondeu Musk. O mercado de criptomoedas foi inundado por tokens digitais procurando superar o bitcoin nos últimos anos, enquanto rivais do ethereum (a segunda maior criptomoeda depois do bitcoin) são desafiados por uma série de alternativas que prometem taxas mais baixas, tempos de transação mais rápidos e melhor eficiência.
Musk já incentivou desenvolvedores a enviar ideias de atualizações e melhorias para o dogecoin via Reddit e GitHub, também em resposta a uma notícia sobre atualizações do ethereum, afirmando que o cofundador do ethereum, Vitalik Buterin, “tem medo (do doge).”

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Alguém sugeriu alterar as taxas do dogecoin com base nas fases da lua, o que é muito incrível”, acrescentou Musk, dizendo a outro usuário do Twitter que os desenvolvedores de dogecoin “disseram (a ele) que toda ajuda é bem-vinda”.

Apesar de atrair críticas por sua falta de desenvolvimento e alta concentração de tokens entre um pequeno grupo de contas, o dogecoin disparou espantosos 12.000% neste período em 2020, com mais pessoas apostando que o preço continuará a subir e com influenciadores nas redes sociais aplaudindo o memecoin inspirado no cão Shiba Inu. O contexto alimenta as especulações de que o preço do dogecoin poderia subir até US$ 1 por token.

Musk, que abraçou com entusiasmo o título CEO honorário do dogecoin após uma pesquisa no Twitter em 2019, anunciou repetidamente que a criptomoeda é seu token digital preferido nos últimos anos.

No entanto, em fevereiro Musk afirmou que nem todos os seus comentários relacionados ao dogecoin deveriam ser levados a sério – algo que continua a lançar dúvidas sobre a atenção que deve ser dada às frequentes publicações sobre o dogecoin de Musk, que provocam abalos sísmicos no mercado.

Além de aumentar o preço do dogecoin com seus comentários, Musk elevou o preço do bitcoin após anunciar que havia se encontrado com mineradores norte-americanos da criptomoeda.

Os chamados mineradores, que protegem a rede bitcoin direcionando poder de computação em troca de tokens, se encontraram no fim de semana para discutir como reduzir a pegada de carbono da moeda digital – algo que fez Musk suspender o seu uso como meio de pagamento por veículos Tesla no início deste mês.

“Falei com mineradores de bitcoins norte-americanos. Eles se comprometeram a divulgar o uso renovável, atual e planejado e a pedir aos mineradores em todo o mundo que também o façam”, Musk postou no Twitter, acrescentando que a reunião foi: “Potencialmente promissora”.

“Ontem tive o prazer de hospedar uma reunião entre Musk e os principais mineradores de bitcoin na América do Norte”, disse o investidor Michael Saylor via Twitter. “Os mineradores concordaram em formar o Conselho de Mineração de Bitcoin para promover a transparência no uso de energia e acelerar as iniciativas de sustentabilidade em todo o mundo.”

A notícia sobre a formação do Conselho de Mineração do Bitcoin foi recebida com desconfiança por muitos na comunidade de criptomoedas, que temem uma centralização da rede de bitcoins.

“É extremamente preocupante que este grupo de bitcoiners tenha participado deste ‘encontro’ sem qualquer senso de autoconsciência”, escreveu Marty Bent, cofundador da mineradora de bitcoin Great American Mining e apresentador do podcast Tales from the Crypt (Contos sobre as criptos, em tradução livre), em sua newsletter.

“Eles não se lembram da última vez em que houve uma reunião a portas fechadas que envolveu apenas algumas partes interessadas da indústria tentando falar em nome de uma indústria inteira? Como eles achavam que isso seria? A arrogância é impressionante.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: