Forbes Radar: Dotz, Hapvida, SLC Agrícola, Linx e outros destaques corporativos

No Forbes Radar de hoje (27), a Rede D’Or concluiu seu follow-on e levantou R$ 1,78 bilhão. Enquanto a Brasil Telecom Comunicação Multimídia, controlada indireta da Oi, finalizou a 1ª emissão de debêntures no valor total de R$ 2,5 bilhões e a Dotz alterou sua estratégia de IPO para oferta restrita, ou seja, apenas para grandes investidores.

Ao mesmo tempo, o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) zerou sua participação na Klabin. Movimento que já ocorria desde 18 de fevereiro, quando a instituição informou que estava com menos de 5% de participação acionária.

Veja estes e outros destaques corporativos do dia:

Rede D’Or (RDOR3)

A Rede D’Or concluiu seu follow-on vendendo as ações por R$ 71, levantando R$ 1,78 bilhão. Esse montante representou um desconto de 3,4% em relação ao pregão de ontem (26), R$ 73,50.

Os controladores da companhia optaram por não vender o lote adicional completo de 50% do total dos ativos ofertados.

A Rede D’Or realiza a oferta cinco meses após sua estreia na B3, em dezembro do ano passado.

Amazon (AMZO34)

A Amazon anunciou na última terça-feira (25) a intenção de adquirir o estúdio cinematográfico MGM Holdings por US$ 8,45 bilhões, no que se traduz como a maior investida da gigante do e-commerce em Hollywood. Com a operação, a companhia quer reforçar sua plataforma de streaming em meio à crescente competição de empresas como Netflix, Disney e WarnerMedia e a próxima mídia do gigante Discovery.

A aquisição dá à Amazon acesso ao vasto catálogo da MGM de filmes clássicos de Hollywood como “E o Vento Levou”, “O Mágico de Oz”, “Cantando na Chuva”, “Rocky”, “Silêncio dos Inocentes” e “Pantera Cor de Rosa”.

Linx (LINX3)

O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) informou ontem (26) a prorrogação por mais 90 dias do prazo para análise da compra da Linx pela StoneCo.

O julgamento foi adiado na sessão anterior, em 12 de maio. Assim, o assunto estará na pauta da próxima reunião do Conselho, agendada para 16 de junho.

PayPal (PYPL34)

O PayPal disse nesta ontem (26) que planeja permitir que os usuários transfiram criptomoedas para carteiras de terceiros.

A empresa, que abriu sua plataforma para moedas digitais em outubro passado, ainda não permite que os usuários retirem seus títulos de criptomoedas de sua plataforma.

A notícia foi relatada antes pela Coindesk, citando Jose Fernandez da Ponte, que lidera a unidade de negócios de blockchain, criptografia e moedas digitais do PayPal.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Petrobras (PETR4)

A Petrobras Bolivia, unidade da petroleira brasileira no país sul-americano, teve suas contas bloqueadas pela Justiça boliviana em meio a um embate com uma família a respeito da propriedade de parte da área onde está situado um dos seus principais campos de gás naquele país, segundo duas fontes próximas ao tema.

O bloqueio partiu de uma decisão judicial em primeira instância, no mês passado, que definiu que a estatal e suas sócias na área deveriam pagar US$ 61,14 milhões à família de Maria del Rosario Vacaflor Lahore, que reivindica a propriedade de parte da área onde está o campo de San Alberto, conforme documentos judiciais vistos pela Reuters.

A Petrobras, operadora do campo, recorreu da decisão e o processo corre agora em segunda instância no Tribunal Agroambiental de Sucre, de onde deverá sair a sentença final, segundo as fontes, que falaram na condição de anonimato.

No cenário doméstico, a Petrobras vai realizar a primeira parada programada geral para manuteção na Rnest (Refinaria Abreu e Lima), em Pernambuco, entre junho e agosto, que irá abranger todas as unidades do trem de refino 1, informou a companhia em nota à Reuters, após ser consultada.

A refinaria tem capacidade para processar 230 mil barris de petróleo por dia, segundo dados da petroleira.

As unidades de Destilação, Coqueamento Retardado, Hidrotratamento de Diesel e Nafta, Geração de Hidrogênio e de Tratamentos serão inspecionadas conforme estabelece a regulação e cada uma terá seu prazo específico de manutenção, de acordo com a complexidade e quantidade de serviços, disse a empresa.

Haverá também parada parcial nos equipamentos das áreas de Utilidades e de Transferência e Estocagem.

Eletrobras (ELET6)

A Eletrobras anunciou ontem (26) que comprou, por meio de sua controlada CGT Eletrosul, 49% na TSLE (Transmissora Sul Litorânea de Energia) que era detida pela CEEE-T.

Segundo fato relevante, a CGT Eletrosul pagará R$ 217,55 milhões na operação, que ainda está condicionada à obtenção de anuência dos credores da TSLE.

Com a implementação do negócio, a CGT passará a deter 100% do capital social da transmissora.

“O contrato (…) definitivo será firmado no prazo de até 30 dias contados da obtenção da anuência dos credores, e a transferência das ações e o pagamento do preço ocorrerão no prazo de até 30 dias”, afirmou a elétrica.

Apple (AAPL34)

Uma empresa do Vale do Silício entrou com um processo antitruste acusando a Apple de monopolizar o mercado de tecnologia de monitoramento de frequência cardíaca para o Apple Watch e colocar em risco a saúde dos usuários.

Em uma denúncia registrada na noite da última terça-feira (25), a AliveCor disse que a Apple excluiu rivais ao alterar o algoritmo de frequência cardíaca do sistema operacional do relógio, tornando a tecnologia rival incompatível.

A AliveCor vende o KardiaBand, uma pulseira Apple Watch capaz de registrar um eletrocardiograma, e o SmartRhythm, um aplicativo que alerta os usuários sobre batimentos cardíacos irregulares.

A empresa privada acusou a Apple de silenciosamente “trabalhar em segundo plano” para copiar sua capacidade de gravar um ECG no Apple Watch e fornecer um aplicativo separado para análise de frequência cardíaca.

“Como já fez várias vezes ao longo dos anos em outros mercados, a Apple decidiu que não aceitaria a concorrência no mérito”, disse a AliveCor em sua denúncia apresentada no tribunal federal de San Francisco.

Klabin (KLBN4)

Em exclusividade, o Brazil Journal informou que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) zerou sua participação na Klabin. Em 18 de fevereiro, a instituição já tinha menos de 5% e foi reduzindo gradualmente até a tarde de ontem (26).

Dotz (DOTZ3)

A Dotz informou que mudou sua estratégia de IPO e aprovou a estreia na B3 só para grandes investidores, ou seja, ofertas restritas (modalidade feita para até 75 investidores institucionais). A operação consistirá na distribuição inicial de 29,6 milhões de ações, com faixa indicativa de preço entre R$ 13,20 e R$ 16,20 por ativo, podendo levantar R$ 435,1 milhões.

Além disso, a Dotz poderá poderá contar com um lote suplementar de até 7,5% do total das ações ofertadas, ou 2,2 milhões.

Os coordenadores da oferta são: Banco BTG Pactual, Itaú BBA, UBS Brasil Corretora e Credit Suisse.

Vale (VALE3)

A Vale elegeu Mauro Rodrigues da Cunha e Manuel Lino Silva de Sousa Oliveira, membros do conselho de administração da companhia com mandato previsto até 2023. Cunha exercerá o cargo de coordenador interino do comitê de auditoria, até a efetiva posse de Ollie Oliveira prevista para 1º de agosto de 2021.

Hapvida (HAPV3)

A Hapvida divulgou o segundo relatório anual de sustentabilidade. O documento reúne informações relacionadas à governança, cuidado com os colaboradores, bem como ações para acolhimento aos clientes e programas socioambientais.

Entre os destaques estão: investimento de R$ 127 milhões em pessoal, medicamentos, materiais e serviços de terceiros em ações de combate à pandemia e proteção da vida e cerca de R$ 230 milhões investidos em rede própria, incluindo novas construções e reformas.

Oi (OIBR3)

A Oi informou que concluiu a subscrição e integralização das debêntures conversíveis em ações da 1ª emissão da Brasil Telecom Comunicação Multimídia, controlada indireta da companhia, no valor total de R$ 2,5 bilhões. A operação constitui mais uma etapa do processo de reestruturação da Oi e suas subsidiárias em recuperação judicial.

Espaçolaser (ESPA3)

A Espaçolaser informou que a executiva Mariana Gama Costabile assumiu a posição de diretora de recursos humanos da companhia.

SLC Agrícola (SLCE3)

A SLC informou que após a publicação da aprovação deita pelo Cade em 7 de maio e falta de qualquer oposição ou recurso durante o prazo de 15 dias, a companhia se tornou arrendatária das áreas da Agrícola Xingu.

Cemig (CMIG4)

A Cemig informou que após a carta de renúncia de Cledorvino Belini, indicado pelo acionista majoritário da empresa, Estado de Minas Gerais, o conselho de administração ficou constituido em:

  • Márcio Luiz Simões Utsch – Presidente
  • Carlos Eduardo Tavares de Castro
  • José Reinaldo Magalhaes
  • Afonso Henriques Moreira Santos
  • José João Abdalla Filho
  • Marcelo Gasparino da Silva
  • Paulo Cesar de Souza e Silva
  • Marco Aurélio Dumont Porto

(Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).