Hapvida amplia receitas no 1º trimestre, mas lucro cai com maiores despesas por Covid-19

A empresa de saúde Hapvida teve aumento das receitas no primeiro trimestre, diante de aquisições e aumento de preços, mas seu lucro caiu refletindo despesas maiores com internações pela Covid-19.

A companhia, que em março selou a compra do Grupo Notre Dame Intermédica, anunciou hoje (12) que teve lucro líquido de R$ 151,8 milhões de janeiro a março, queda de 7,7% em relação à mesma etapa de 2020.

LEIA MAIS: Hapvida segue empenhada em novas aquisições, afirma CEO

A receita líquida da Hapvida no período, de R$ 2,3 bilhões, cresceu 11,8% ano a ano, com adição de 477 mil beneficiários de saúde e odonto e aumento dos tickets médios.

Porém, os custos assistenciais (caixa) cresceram 22,4%, para R$ 1,42 bilhão. O chamado índice de sinistralidade caixa, que mede os custos operacionais em relação às receitas, atingiu 61,1%, aumento de 5,3 pontos percentuais, em virtude do maior patamar de sinistro das empresas adquiridas (Medical e Grup.o São José)e, atendimentos e internações causados pela Covid-19.

A empresa fechou o trimestre com 3.876 leitos hospitalares em operação, sendo 1.567 leitos para tratamento da Covid.

O resultado operacional medido pelo Ebitda (lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização), atingiu R$ 466,8 milhões, queda de 0,2%, com a margem caindo 2,4 pontos percentuais, para 20,1%.

A conclusão da compra da Notre Dame Intermédica aguarda aprovação regulatória. A Hapvida fez uma oferta subsequente de ações de R$ 2,7 bilhões em abril para ajudar a pagar a operação.(Com Reuters)


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).