Ibovespa abre com alta leve, em sessão de otimismo no exterior

O dólar oscila ante o real neste início de pregão, sem direção única.

Kariny Leal
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


Em dia de agenda doméstica mais calma, o Ibovespa abriu a última sessão da semana em leve alta de 0,05%, a 124.431 pontos, após se aproximar do recorde histórico – que foi registrado em janeiro – na véspera, mas ainda com dificuldade de alcançá-lo. O principal índice da Bolsa brasileira opera alinhado aos mercados no exterior, mas com menor força.

O dólar opera sob volatilidade ante o real na primeira hora do pregão. Perto das 10h00, o dólar recuava 0,07%, a R$ 5,2515.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Mais cedo, a inflação medida pelo IGP-M (Índice Geral de Preços Mercado), utilizado como referência para a correção de valores de contratos, registrou alta de 4,10% em maio, pressionada pelos preços das commodities, depois de avanço de 1,51% em abril. O registro ficou levemente acima das expectativas dos economistas, de 4,0%.

Nos Estados Unidos, os futuros dos índices apontam para abertura em alta, na esteira do otimismo da véspera, com os números de pedidos de seguro-desemprego abaixo do esperado na semana anterior. Há ainda a expectativa de que o presidente Joe Biden apresente hoje sua proposta orçamentária para o ano fiscal de 2022, após conversas com a oposição.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Os dados de inflação norte-americanos medidos pelo PCE superaram o consenso na divulgação de hoje (28). O núcleo do índice de preços subiu 3,1% em maio, ante consenso de 2,9%.

Os índices da Europa se beneficiam do bom humor norte-americano quanto às reaberturas e operam no azul hoje (28). Dados de sentimento da Zona do Euro mostraram altas acima do esperado e atingiram máxima de três anos em maio. O índice de sentimento econômico da Comissão Europeia subiu para 114,5 pontos em maio, ante 110,5 em abril.

Perto das 9h00, horário de Brasília, o índice pan-europeu Stoxx600 sobe 0,52%; o alemão DAX, 0,57%; o italiano FTSE MIB, 0,25%. Na França, o CAC avança 0,66%.

Na China, as ações fecharam em queda, mas registraram sua melhor semana em mais de três meses, já que as preocupações com a inflação e o aperto das políticas monetárias perderam força, e um iuan forte impulsionou os fluxos estrangeiros para as bolsas do país. Analistas e operadores atribuíram o forte rali da semana ao alívio das preocupações com a inflação, após Pequim prometer conter ganhos significativos de preços no mercado de commodities

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 0,3%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,2%. Já em Tóquio, o índice Nikkei avançou 2,10%, e o Hang Seng de Hong Kong avançou 0,04%. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: