Ibovespa abre em alta, com exterior positivo e atenção ao cenário doméstico

O Ibovespa dá continuidade ao dia positivo da véspera e abriu hoje (25) em alta de 0,31%, a 124.418 pontos, em meio aos mercados positivos no exterior dando o tom da sessão. O principal índice da Bolsa de São Paulo se aproxima do topo histórico intradiário de 125.320 pontos, alcançado em janeiro deste ano.

O dia por aqui é marcado pela retomada dos depoimentos na CPI da Covid-19 no Senado, que ouve a secretária de gestão do trabalho e da educação do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Em mais uma sessão de apetite por risco, o dólar opera em queda ante o real, movimento reforçado pelo recuo da divisa norte-americana ante pares no exterior. Perto das 9h26, o dólar marcava queda de 0,48%, a R$ 5,2983.

Mais cedo, a FGV (Fundação Getulio Vargas) divulgou dados da confiança do consumidor de maio, que marcou 76,2, acima da leitura anterior de 72,5.

Na sequência, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) soltou dados de inflação oficial medidos pelo IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) de maio. A leitura mensal apresentou alta de 0,44% em maio, sobre avanço de 0,60% na leitura anterior, e abaixo da expectativa de pesquisa Reuters, que estimava alta de 0,55%.

Étore Sanchez, economista-chefe da Ativa Investimentos, afirma que o dado de maio surpreendeu as expectativas por conta do desvio no subitem de passagens aéreas. “Excluindo tal desvio concentrado em apenas um subitem, pode-se afirmar que a dinâmica inflacionária não mudou.”

Os índices acionários dos Estados Unidos ensaiam uma leve alta no pré-mercado, marcado pelo bom humor com a reabertura da economia, além da diminuição no medo da inflação no país e pelo bom desempenho das ações de tecnologia. Às 11h00 serão divulgados dados sobre a confiança do consumidor no mês de maio.

Os mercados europeus avançam, aquecendo o mercado global e refletindo o alívio com relação à inflação O Stoxx 600 sobe 0,41%; o CAC 40 valoriza 0,19% na França; na Itália, o FTSE MIB é negociado em alta de 0,39%; enquanto no Reino Unido, o FTSE 100 vai na contramão e opera a 0,03% negativos.

Na Alemanha, o DAX cresce 0,78%, após última pesquisa de clima de negócios IFO no país mostrar que o clima dos negócios subiu para 99,2 em maio, ante 96,6 em abril. Contudo, a divulgação do PIB alemão no primeiro trimestre registrou contração de 1,8% em relação ao trimestre anterior e 3,1% na comparação anual.

As Bolsas asiáticas fecharam o dia em alta. O índice Shanghai, da China, subiu 2,40%, enquanto o minério de ferro na bolsa de Dalian encerrou o pregão com leve queda de 0,1%, a US$ 165,18 por tonelada, após atingir o menor nível em seis semanas ontem (24). O Hang Seng, de Hong Kong, cresceu a 1,75%; o BSE Sensex, de Mumbai, fechou em baixa de 0,03%; enquanto no Japão, o índice Nikkei subiu 0,67%. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).