Ibovespa fecha em alta com recuperação em Nova York e bateria de balanços

O Ibovespa fechou em alta o pregão desta quinta-feira (13), subindo 0,83% a 120.705 pontos, em sintonia com a recuperação observada em Wall Street após o mergulho dos mercados de ontem. No contexto doméstico, o impulso foi alimentado por uma bateria de balanços corporativos, com Natura&Co, Yduqs e Eletrobras entre as pressões altistas.

A Yduqs reportou uma queda de 74% no lucro líquido do primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2020, para R$ 43,2 milhões, afetado pela piora do resultado financeiro e fatores relacionados a aquisições. A base de alunos, porém, cresceu 13,3%, assim como a receita líquida subiu 17,2% nos primeiros três meses do ano, período que evidencia, na visão da companhia, que ela conseguiu superar a fase mais aguda da crise provocada pela pandemia de Covid-19.

Nos indicadores domésticos, um queda menor do que o esperado por analistas no IBC-Br de março, considerado sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), corroborou com a reação na Bolsa paulista. O índice veio em queda de 1,59% ante o mês anterior, contra expectativa de queda de 3,75%. No primeiro trimestre, cresceu 2,3%.

Em Nova York, o pullback foi amparado por dados positivos sobre o mercado de trabalho norte-americano, com os principais índices acionários fechando em alta após três dias consecutivos de vendas. Declarações de membros do Federal Reserve afastando a possibilidade de mudanças na política monetária norte-americana em curto prazo também colaboraram com o viés positivo na sessão.

O diretor do Fed, Christopher Waller, disse hoje que a autoridade precisa de “mais vários meses de dados” antes de considerar mudanças em sua política monetária. Os números dos pedidos de seguro-desemprego semanal nos Estados Unidos divulgados hoje vieram menores do que o esperado, em 473 mil, abaixo do consenso de 490 mil.

O dado de inflação norte-americano divulgado também nesta quinta-feira e medido pelo IPP superou as expectativas do mercado. A leitura anual foi de 6,2%, ante consenso de 5,9%. Em abril, ficou em 0,6%, ante expectativa de 0,3%.

No fechamento, o Dow Jones subiu 1,29% a 34.021 pontos, o S&P 500 avançou 1,22% a 4.112 pontos e o Nasdaq ganhou 0,72% a 13.124 pontos.

O dólar fechou em leve alta ante o real, ganhando 0,14% a R$ 5,31 na venda, depois de oscilar entre ganhos e perdas no dia, com o mercado local captando o viés ainda de força para a moeda norte-americana no exterior após novos dados de inflação nos Estados Unidos.

Para Helena Veronese, economista-chefe na Azimut Brasil Wealth Management, embora o BC norte-americano ainda repita que não subirá as taxas de juros apesar das leituras mais altas de índices de preços, o cenário para o câmbio no Brasil parece agora um pouco mais delicado, sobretudo por causa de temas domésticos.

“O cenário político aqui tende a piorar por causa principalmente da CPI (da Covid)”, disse. “A gente sabe que se a CPI for a fundo ela pode trazer complicações um pouco maiores para o governo, e isso certamente impacta o câmbio.” (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).