IGP-10 acelera alta a 3,24% em maio com impulso do atacado, diz FGV

Ueslei Marcelino/Reuters
Ueslei Marcelino/Reuters

Aumentos recentes de importantes commodities foram um dos principais responsáveis pela alta do IGP-10

O IGP-10 (Índice Geral de Preços-10) passou a subir 3,24% em maio, depois de uma alta de 1,58% no mês anterior, já que os preços de commodities importantes impulsionaram a inflação ao produtor, informou a FGV (Fundação Getulio Vargas) hoje (17).

Com isso, o índice agora acumula alta de 12,70% no ano e de 35,91% em 12 meses.

LEIA MAIS: Brasil vende o maior volume de soja aos Estados Unidos desde 2014

Os dados mostraram que o IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo), que mede a variação dos preços no atacado e responde por 60% do índice geral, acelerou a alta a 4,20% no mês, de 1,79% em abril.

As Matérias-Primas Brutas foram as principais responsáveis por essa leitura, uma vez que dispararam 7,66% em maio, deixando para trás a queda de 0,30% registrada no mês anterior.

“Aumentos recentes nos preços de importantes commodities, as quais também são insumos para vários segmentos industriais, sustentam a forte aceleração do grupo matérias-primas brutas do IPA, estágio de processamento que responde por 38% do índice ao produtor”, disse em nota André Braz, coordenador dos índices de preços.

Para o consumidor o aumento dos preços mostrou desaceleração, com o IPC-10 (Índice de Preços ao Consumidor), que responde por 30% do índice geral, subindo 0,35% em maio, de 0,87% no período anterior.

Entre os componentes do índice ao consumidor, o grupo Transportes ficou com o maior destaque, recuando 0,22%, depois de saltar 3,19% em abril. A gasolina teve grande influência sobre esse resultado, uma vez que caiu 1,03% em maio, depois de avançar 9,02% no mês anterior.

O INCC (Índice Nacional de Custo da Construção), por sua vez, desacelerou a alta a 1,02% em maio, de 1,24% em abril.

LEIA MAIS: Barclays eleva projeção para PIB brasileiro a 4,3% em 2021 com vacinação e commodities

O IGP-10 calcula os preços ao produtor, consumidor e na construção civil entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).