Lucro da Energisa sobe 50% no 1º trimestre, para R$ 873,3 milhões

A Energisa, que controla distribuidoras de energia e tem negócios em transmissão e geração renovável, anunciou na noite de ontem (13) lucro líquido consolidado de R$ 873,3 milhões no primeiro trimestre, crescimento de 50,1% sobre o mesmo período do ano passado.

A geração de caixa da empresa medida pelo Ebitda ajustado totalizou R$ 1,42 bilhão, acréscimo de 53,3% na mesma comparação.

O Ebitda foi parcialmente impulsionado pelo recebimento de R$ 264,4 milhões referentes à constituição de FIDC (Fundo de Investimento em Cotas em Direitos Creditórios não padronizados).

Além do aumento do Ebitda, o lucro líquido da Energisa também foi elevado pelo efeito positivo de R$ 251,1 milhões referentes à Marcação a Mercado de Derivativos, sem efeito caixa.

As vendas de energia (mercado cativo + TUSD) caíram 0,8% no trimestre, atingindo 9.179,3 GWh, “apesar de bom desempenho do setor industrial e rural”, disse a companhia.

Já os PMSO (custos operacionais controláveis) caíram 7,1% no trimestre.

A dívida líquida consolidada da Energisa totalizou R$ 14,2 bilhão, enquanto a relação da dívida líquida por Ebitda ajustado recuou de 3,1 vezes em dezembro de 2020 para 3,0 vezes em março de 2021.

Os investimentos consolidados somaram R$ 697,5 milhões no primeiro trimestre, redução de 2,3% em relação ao mesmo período ano anterior. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).