Rumo passa de prejuízo para lucro no 1º trimestre, com receita maior e ganho financeiro

A operadora de ferrovias e contêineres Rumo passou de prejuízo para lucro no primeiro trimestre, beneficiada por alta das receitas e um ganho não recorrente numa operação financeira.

Braço de logística do grupo de agronegócio Cosan, a Rumo anunciou hoje (13) que teve lucro líquido de R$ 175 milhões de janeiro a março, ante prejuízo de R$ 274 milhões um ano antes.

LEIA MAIS: Rumo estima capex de até R$ 3,9 bi em 2021

Segundo a companhia, o desempenho refletiu o crescimento da receita com aumento dos volumes transportados e das tarifas cobradas, além de menores despesas financeiras decorrentes de marcação a mercado de derivativos, com o pagamento antecipado de notas de dívida que vencem em 2024, o que gerou um efeito positivo de R$ 203,3 milhões.

O volume transportado pela Rumo no trimestre foi de 13,9 bilhões de toneladas equivalentes, 12,8% maior do que na mesma etapa de 2020. Na chamada operação norte, o volume cresceu 16,4%, com destaque para fertilizantes (+55,2%) e industriais (+21%), enquanto o segmento agrícola avançou 15,8%.

Com isso, a receita líquida somou R$ 1,75 bilhão, avanço de 22,6% no comparativo anual, favorecida também pelo aumento de 5,9% das tarifa, em meio a reajustes de 20% do preço do combustível.

O resultado operacional da companhia medido pelo Ebitda (lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização) atingiu R$ 832 milhões, 44,2% maior em um ano. A margem Ebitda chegou a 47,7%, aumento de 7,1 pontos percentuais ano a ano.(Com Reuters)

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).