UE revela plano de cortar dependência da China e outros

Bloco não quer depender tanto de fornecedores chineses em áreas como matérias-primas e ingredientes farmacêuticos .

Redação
Compartilhe esta publicação:
Yves Herman/Reuters
Yves Herman/Reuters

Bloco europeu planeja diversificar seus parceiros comerciais em áreas estratégias

Acessibilidade


A União Europeia divulgou hoje (5) um plano para reduzir sua dependência de fornecedores chineses e estrangeiros em seis áreas estratégicas, como matérias-primas, ingredientes farmacêuticos e semicondutores, após a crise econômica induzida pela pandemia.

O bloco de 27 nações delineou a urgência da tarefa, citando a dependência da Europa pela China em cerca de metade dos 137 produtos usados em ecossistemas sensíveis, principalmente matérias-primas e produtos farmacêuticos e outros bens essenciais para os objetivos sustentáveis e digitais do bloco.

LEIA MAIS: Crescimento empresarial da zona do euro acelera em abril com expansão de serviços, mostra PMI

O plano de estratégia industrial atualizado foi elaborado depois que a pandemia de Covid-19 ressaltou gargalos na cadeia de abastecimento e após planos executivos da Comissão Europeia para conduzir análises aprofundadas das cadeias de abastecimento de matérias-primas, baterias, ingredientes farmacêuticos ativos, hidrogênio, semicondutores e tecnologias de nuvem, de forma a decidir como lidar com eles.

“A estratégia industrial atualizada de hoje é garantir que nossas indústrias estejam equipadas para impulsionar as transformações digitais e verdes de nossa economia, garantindo a competitividade de nossas indústrias, também no contexto da recuperação diante da crise do coronavírus”, disse a vice-presidente da Comissão Europeia, Margrethe Vestager, em uma entrevista coletiva.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

As medidas da UE podem incluir “diversificar a oferta, dependendo de diferentes parceiros comerciais sempre que possível, mas também armazenar e agir de forma autônoma sempre que necessário”, afirmou o documento de 19 páginas. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: