Arrecadação federal salta 69,9% em maio e é recorde para o mês

Mudanças nas regras de recolhimento e melhora dos indicativos de produção industrial e venda de bens e serviços favoreceram o resultado

Redação
Compartilhe esta publicação:
Bruno Domingos/Reuters
Bruno Domingos/Reuters

Mudanças nas regras de arrecadação e melhora dos indicativos de produção industrial e venda de bens e serviços favoreceram o resultado da Receita Federal

Acessibilidade


A arrecadação da Receita Federal somou R$ 142,106 bilhões em maio, alta real de 69,88% sobre o mesmo mês do ano passado e o melhor resultado para o mês da série do Fisco, que tem início em 1995, mostraram números divulgados hoje (29).

No acumulado do ano, as receitas somaram R$ 744,828 bilhões, valor também recorde para o período, com crescimento de 21,17% sobre os mesmos meses de 2020 na comparação corrigida pela inflação.

LEIA MAIS: Dívida pública federal cresce 1,61% em maio sobre abril, diz Tesouro

A arrecadação no ano tem sido favorecida por mudanças nas regras de recolhimento de tributos promovidas em meio à crise econômica gerada pela pandemia e também por outros fatores não recorrentes. Desconsiderando esses fatores, segundo a Receita, a arrecadação teria crescido 11,93% no ano e 23,74% no mês.

Ainda assim, a Receita também tem destacado o impacto do crescimento da atividade para a arrecadação, ressaltando a melhora de indicadores como da produção industrial e venda de bens e de serviços. Para maio o Fisco também chamou atenção para o crescimento da arrecadação de tributos de comércio exterior, que atribuiu principalmente à alta da taxa de câmbio e ao crescimento do valor em dólar das importações. (Com Reuters)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: