Concessionária de infraestrutura Conasa pede registro para IPO

A companhia informa no prospecto preliminar da oferta que teve receita líquida de R$ 108,9 milhões no primeiro trimestre.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters

A companhia informa no prospecto preliminar da oferta que teve receita líquida de R$ 108,9 milhões no primeiro trimestre

Acessibilidade


A empresa de infraestrutura Conasa pediu registro para realizar uma IPO (oferta inicial de ações), segundo documento revelado hoje (01) pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Criada em 2007 e com sede em Londrina (PR), a Conasa atua em concessões públicas e parcerias público privadas regionais de saneamento, iluminação pública e rodovias.

LEIA TAMBÉM: BofA eleva a 5,2% projeção de alta do PIB do Brasil em 2021

A companhia tem entre os sócios os fundos fechados de previdência Serpros e Igreprev Tocantins, além de um grupo de 12 pessoas físicas reunidas sob o fundo de investimentos Infra Patrimonial I FIP. Nenhum deles venderá ações na oferta.

Assim, todos os recursos da operação irão para o caixa da Conasa, que pretende usá-los para participar de leilões de concessão de infraestrutura, participar de PPPs, reduzir dívidas e comprar participação em empresas do setor.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A companhia informa no prospecto preliminar da oferta que teve receita líquida de R$ 108,9 milhões no primeiro trimestre, aumento de 52,4% sobre um ano antes, com a margem Ebitda caindo de 51,2% para 37,4%. A alavancagem, medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda, subiu de 1,76 para 3,88 vezes no período.

A oferta será coordenada por Santander, Itaú BBA, BTG Pactual, Banco ABC Brasil e Safra. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: