El Salvador faz história como o primeiro país do mundo a legalizar o bitcoin

O bitcoin passará a ser aceito como pagamento para bens e serviços, junto com o dólar americano

Robert Hart
Compartilhe esta publicação:
Suriyapong Koktong/Getty Images
Suriyapong Koktong/Getty Images

O bitcoin passará a ser aceito como pagamento para bens e serviços, junto com o dólar americano

Acessibilidade


El Salvador se tornou o primeiro país do mundo a adotar formalmente o bitcoin depois que seu Congresso votou esmagadoramente a aprovação de uma lei que classifica a criptomoeda como um contrato legal, disse o presidente Nayib Bukele hoje (9), uma iniciativa que ele espera impulsionar o investimento estrangeiro, melhorar a inclusão financeira e gerar empregos.

Bukele, que anunciou planos de apresentar um projeto de lei adotando o bitcoin como moeda corrente em El Salvador no sábado (5), disse que uma maioria absoluta de legisladores no Congresso aprovou a lei em votação hoje.

VEJA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O projeto garantiu 62 dos 84 votos possíveis, disse Bukele. “História!” publicou no Twitter.

O bitcoin deve ser legalizado em 90 dias, o que significa que todas as empresas devem aceitar o token para bens e serviços, junto com o dólar americano.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Bukele disse anteriormente que isso tornará os serviços financeiros acessíveis a 70% dos salvadorenhos que não têm conta em banco e facilitará a transferência de remessas do exterior, que representam cerca de 20% do PIB (Produto Interno Bruto) do país.

El Salvador usa o dólar americano como moeda oficial desde 2001, ao qual o bitcoin se unirá, não substituirá. A votação representa um marco importante na história monetária e pode ser um fator decisivo para os negócios em todo o mundo, à medida que se torna um ativo mais prático. O apoio de um país também pode ajudar muito a dissipar o ceticismo generalizado sobre a utilidade e aceitação do bitcoin a longo prazo, embora os temores permaneçam sobre a volatilidade do token. Os planos de El Salvador podem interferir nas ambições que o país tem com o FMI (Fundo Monetário Internacional), onde está buscando um programa de US$ 1 bilhão.

Outros países e bancos podem começar a adotar o bitcoin, ou outros tokens de criptomoeda, no futuro. Legisladores em vários países da América Latina expressaram pelo menos um interesse casual em seguir os passos de El Salvador, incluindo Brasil e Panamá.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: