Forbes Radar: Hapvida, Notre Dame, Locaweb, Hermes Pardini e outros destaques corporativos

Últimas notícias sobre: Ebay, Méliuz, BRF, Yduqs, PayPal, Renner, Equitas, Carrefour Brasil, Grupo Mateus e Raia Drogasil .

Artur Nicoceli
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


No Forbes Radar de hoje (21), enquanto a BRF informou que a subsidiária BRF Pet fechou acordo para adquirir o grupo Hercosul, a Yduqs comprou a Qconcursos e o Instituto Hermes Pardini realizou a aquisição do Laboratório de Patologia Clínica Dr. Paulo Cordeiro de Azevedo.

Ao mesmo tempo, a Hapvida e o Grupo Notre Dame receberam a aprovação da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) para uma possível fusão. Agora, para concluir a operação, o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) precisa dar seu aval.

Já em Brasilia, quem toma conta da agenda dos políticos é a Eletrobras. Após o Senado alterar o texto da Medida Provisória da companhia na última quinta-feira (17), a Câmara dos Deputados tem até amanhã (22) para aprovar as mudanças realizadas pelos senadores.

Ebay (EBAY34)

A norueguesa Adevinta disse na última sexta-feira (18) que reguladores deram aval para aliança de seus negócios globais de classificados online com o eBay.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Sob o acordo acertado no ano passado, a Adevinta vai comprar o grupo de classificados do eBay em troca por US$ 2,5 bilhões em caixa e US$ 540 milhões de ações, avaliando a transação em cerca de US$ 13 bilhões.

A aprovação das autoridades veio após o eBay aceitar reduzir sua participação na Adevinta nos próximos 18 meses, afirmou a companhia norueguesa, uma das controladoras da OLX no Brasil

Méliuz (CASH3)

A administradora de programas de fidelidade Méliuz anunciou na última sexta-feira (18) que avalia realizar uma oferta pública primária e secundária subsequente de ações.

Por meio de fato relevante, a empresa explicou que a oferta será com esforços restritos, em condições similares às de sua oferta inicial de ações, e que nomeou BTG Pactual e Itaú BBA para coordenarem a possível operação.

A companhia sediada em Minas Gerais fez sua estreia na bolsa paulista em novembro passado, com uma oferta inicial de ações, na qual levantou cerca de R$ 370 milhões para ampliar seu marketplace, serviços financeiros e para aquisições de empresas.

Hapvida (HAPV3) e Grupo Notre Dame (GNDI3)

A Hapvida e o Grupo Notre Dame comunicou que recebeu o oficio da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) com a autorização para a fusão entre as duas companhias. A partir de agora, só falta a aprovação por parte do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

BRF (BRFS3)

A companhia de alimentos BRF informou na última sexta-feira (18) que a subsidiária BRF Pet fechou acordo para adquirir o grupo Hercosul, que atua em rações secas e úmidas para cães e gatos, o que coloca a empresa no caminho de ser um dos principais integrantes desse mercado.

O valor da operação está sujeito aos ajustes contemplados no contrato de compra e venda e será comunicado com o fechamento do acordo, acrescentou a BRF, explicando que a transação foi aprovada Conselho de Administração e não depende da aprovação da assembleia-geral, uma vez que a mesma será realizada por meio de sua subsidiária BRF Pet.

Companhia Brasileira de Distribuição (PCAR3)

De acordo com a coluna do Lauro Jardim, publicada no O Globo, Michael Klein, filho do fundador das Casas Bahia e atual controlador da Via (VVAR3), começou a montar uma posição acionária no grupo Pão de Açúcar, que pertence a Companhia Brasileira de Distribuição, e tem como objetivo comprar a rede de mercados se a francesa Casino decidir se desfazer das suas posições na gigante do varejo brasileiro.

Segundo análise da Suno Research, “Caso a operação ocorra, Klein poderá reencontrar resistência do rival e o ex-sócio Abilio Diniz. Há cerca de um mês, Diniz começou movimento semelhante ao adquirir ações da varejista e tentar retomar o controle da empresa fundada por sua família e da qual se retirou em 2013 após anos de conflito público com o Casino e seu controlador Jean-Charles Naouri.”

Yduqs (YDUQ3)

A Yduqs comunicou na última sexta-feira (18) que fechou contrato para a aquisição da Qconcursos (QCX Serviços Educacionais Ltda.), sociedade 100% digital da área de educação continuada que oferta cursos preparatórios, guias de estudos, simulados e provas para concursos.

“Com essa aquisição, a Yduqs ultrapassa a marca de 1 milhão de alunos e amplia seus serviços e sua presença no ecossistema de educação digital”, afirmou a empresa de educação em fato relevante enviado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários), sem detalhar o valor da operação.

Segundo a compradora, a QConcursos faturou cerca de R$ 70 milhões no último ano, e entre 2014 a 2020, a plataforma aumentou seu número de assinantes em mais de 4x, atingindo 420 mil pessoas. Em entrevista ao Brazil Journal, a Yduqs informou que vai injetar capital para acelerar o crescimento da plataforma, e usar a tecnologia da startup para alavancar outros negócios digitais da companhia.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Locaweb (LWSA3)

A Locaweb vai começar a oferecer crédito nas próximas semanas, com a empresa especializada em hospedagem de sites e computação em nuvem mergulhando na oferta de serviços financeiros para conquistar e reter pequenas empresas no Brasil que estão tendo que acelerar a digitalização após a pandemia de Covid-19.

Na saída, os empréstimos serão para clientes da Credisfera, fintech de empréstimos para PMEs comprada pela Locaweb em fevereiro. Depois, o serviço será ampliado, possivelmente por meio de parcerias com instituições financeiras, disse Cirne, adiantando que “não vamos colocar balanço próprio para crédito”.

Pagamentos, entrega de encomendas, gestão corporativa (ERP) e crédito são alguns serviços que a Locaweb incorporou ao seu ecossistema com as 10 aquisições de startups que fez desde que estreou na Bovespa em fevereiro do ano passado.

PayPal (PYPL34)

PayPal aumentará os custos do comerciante para seus produtos de pagamento enquanto cortará taxas para processamento de algumas transações com Visa e Mastercard, em um ambiente cada vez mais competitivo no setor de pagamentos digitais.

A mudança estratégica reflete o poder crescente do Paypal no mercado de transações online, que aumentou durante a pandemia de Covid-19.

O PayPal cobrará dos comerciantes 3,49% mais US$ 0,49 para processar transações que acontecem por meio de seus produtos proprietários, de acordo com material que a empresa compartilhou com a Reuters.

A taxa mais alta se aplica a produtos como PayPal Checkout, Pay with Venmo, PayPal Credit e a nova oferta compre agora-pague depois Pay in 4.

Em paralelo, custará aos vendedores 2,59% mais US$ 0,49 para que o PayPal processe pagamentos online feitos com cartões de débito e crédito Visa e Mastercard de outras empresas.

No passado, o PayPal cobrava dos vendedores 2,9% mais US$ 0,30 para processar pagamentos na maioria das transações online, independentemente de sua função.

BR Partners (BRBI11)

Apó ter levantado R$ 364 milhões no IPO que precificou a unit em R$ 16 (no piso da faixa indicativa de R$ 16,00 a R$ 19,00), a BR Partners estreia hoje (21) na B3 com o ticker BRBI11.

Renner (LREN3)

Apurado pelo Valor Investe, a Renner e a XP realizaram uma reunião na última sexta-feira (18), para entender melhor a estratégia da companhia na Realize, braço financeiro da companhia. O foco foi entender qual será o foco e quais são as estratégias mais segmentadas e direcionadas por parte da Renner considerando seus clientes.

Equitas

O mercado poderá assistir em breve a estreia do primeiro fundo de ações com gestão. A Equitas vai testar uma carteira que combina papéis de companhias já negociadas na bolsa com empresas de capital fechado. De acordo com documentos da Comissão de Valores Mobiliários.

Por meio de uma oferta pública, a asset pode levantar algo entre R$ 500 milhões e R$ 1 bilhão.

Carrefour Brasil (CRFB3)

O Carrefour Brasil comunicou que, por questões operacionais, o pagamento dos JCP (juros sobre capital próprio) será realizado no dia 30 de junho, e não mais no dia 24 de junho.

Instituto Hermes Pardini (PARD3)

O Instituto Hermes Pardini adquiriu o Laboratório de Patologia Clínica Dr. Paulo Cordeiro de Azevedo pelo valor de R$ 127 milhões.

Segundo a Hermes, “O Laboratório Paulo C. Azevedo é líder no mercado de medicina diagnóstica no Pará. Fundado em 1941, conta com 22 unidades localizadas em Belém e outros seis municípios do Pará, e com 600 colaboradores diretos. Referência em análises clínicas, anatomia patológica e oncohematologia, o laboratório responde também pelo atendimento a quatro hospitais, realizando exames destas especialidades. Em 2020, o Laboratório Paulo C. Azevedo realizou cerca de 4,5 milhões de exames, com receita bruta de R$ 82 milhões.”

Grupo Mateus (GMAT3)

O Grupo Mateus anunciou que contratou a BTG Pactual para exercer a função de formador de mercado de suas ações ordinárias por um ano, prorrogável automaticamente por iguais períodos caso não haja manifestação de qualquer das partes em sentido contrário.

A Companhia informou que possui 463 milhões ações ordinárias em circulação no mercado e que não celebrou qualquer contrato regulando o exercício de direito de voto ou a compra e venda com a corretora.

Segundo a empresa, “o contrato tem como objetivo fomentar a liquidez das ações ordinárias de emissão da companhia.”

Raia Drogasil (RADL3)

A Raia, Drogasil anunciou o pagamento do montante de R$ 50 milhões em JCP, sendo R$ 0,03030 por ação e 31 de dezembro como a data da remuneração.

Eletrobras (ELE6)

A Eletrobras informou que a Companhia de Geração e Transmissão de Energia Elétrica do Sul do Brasil (CGT Eletrosul) assinou o livro de registro e transferência de ações da Companhia Estadual de Transmissão de Energia Elétrica (CEEE-T) para a aquisição de 49% da participação da CEEE-T na Fronteira Oeste Transmissora de Energia (FOTE).

E, assim, aa CGT se tornou titular de 100% da participação acionária da FOTE, e para isso realizou o pagamento de R$ 83 milhões.

Azevedo e Travassos (AZEV4)

A Azevedo & Travassos contratou Gustavo Rocha para ser o novo presidente da companhia. Ele terá a missão de impulsionar o crescimento da empresa nos segmentos de óleo e gás, saneamento e montagem eletromecânica. Além do foco no crescimento, ele tem como prioridade dar continuidade ao bem-sucedido processo de reestruturação iniciado, em 2019, pela Rocket Capital (atual controladora da companhia).

Banco do Brasil (BBAS3)

O Banco do Brasil anunciou “que os titulares de frações de ações do BB resultantes da conversão de papéis da incorporada terão o prazo de 18 de junho a 19 de julho para transferir suas partes [da Bescval (Besc Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários)].”

(Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: